Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Kiev se gaba do 'poder' de suas Forças Armadas: 'Rússia se engasgará com próprio sangue'

O vice-ministro para os Territórios Temporariamente Ocupados da Ucrânia, Yuri Grymchak, ameaçou a Rússia com uma resposta "sangrenta".


Sputnik

Segundo ele, há dois anos que previu uma "ofensiva" da Rússia contra a Ucrânia e estimou uma série de derrotas ucranianas. No entanto, agora ele afirma que o Exército ucraniano possui condições melhores do que anteriormente. 

Militares ucranianos participam dos exercícios
Militares ucranianos © AFP 2018 / YURIY DYACHYSHYN

"Naquela época eu disse que eles [russos] se engasgariam com nosso e seu próprio sangue. Hoje me parece que eles se engasgarão com seu próprio sangue em caso de uma ofensiva", expressou ele em entrevista ao Apostrophe.

O vice-ministro observou que, durante esse período, Kiev "mudou muita coisa" no exército, no equipamento e no armamento, e a situação nas Forças Armadas da Ucrânia é "incomparável" em relação a 2014.

Frequentemente em Kiev tentam propagar as Forças Armadas da Ucrânia como sendo "defensoras de toda a Europa". Mas na realidade, o exército ucraniano enfrenta sérios problemas.

Em outubro do ano passado, o procurador militar Anatoly Matios relatou que, desde 2014, mais de dez mil militares foram mortos e feridos por motivos que não estão relacionados com os combates em Donbass. O ministro da Defesa da Ucrânia, Stepan Poltorak, justificou as perdas como sendo consequência de doenças, violação de medidas de segurança e consumo de álcool.

Em julho, o deputado da Suprema Rada (Parlamento da Ucrânia) Andrei Biletsky falou sobre a situação catastrófica do armamento das Forças Armadas ucranianas. Ele observou que o desgaste das armas disponíveis na Ucrânia desde os tempos soviéticos já está próximo a ser crítico e que o equipamento necessário não é fabricado devido à corrupção.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas