Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Leste Europeu é uma 'espécie de polígono' para OTAN, diz militar russo

A chancelaria russa fez um comentário humorístico a propósito do lançamento acidental de um míssil a partir de um caça espanhol da OTAN no espaço aéreo da Estônia. O analista militar Aleksandr Zhilin na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik disse que o incidente é perfeitamente expectável.


Sputnik

O Ministério das Relações Exteriores da Rússia fez um comentário no Twitter sobre o incidente do lançamento do míssil no espaço aéreo da Estônia.

Caças Eurofighter Typhoon da Força Aérea Real escoltando um avião comercial sobre o leste da Romênia
Eurofighter Typhoon da RAF sobre a Letônia © AP Photo/ Vadim Ghirda

Em 8 de agosto, um caça espanhol Eurofighter Typhoon, que faz parte da missão de defesa do espaço aéreo dos países bálticos, lançou por engano um míssil de combate da classe ar-ar AIM-120 AMRAAM sobre o sul da Estônia. Conforme as informações prévias, o míssil caiu em uma zona despovoada da Reserva Nacional de Endla.

O primeiro-ministro da Estônia, Juri Ratas, classificou o incidente como lamentável.

"O incidente aborrecido que aconteceu na véspera, graças a Deus, não causou vítimas, mas mesmo assim tudo isso é lamentável", notou Ratas.

Ele acrescentou que a missão da OTAN está realizando uma investigação do acontecido.

Na entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik, o especialista militar e coronel aposentado Aleksandr Zhilin expressou a opinião de que esse incidente demonstra a atitude dos países-chave da OTAN para com os países do Leste Europeu.

"Este incidente é bastante expectável. Os países do Leste Europeu são para as principais potências da aliança uma espécie de polígono onde se podem realizar manobras, ser negligente, como neste caso. Aqui se vê obviamente uma péssima organização destas manobras. Asseguro a vocês: nenhum piloto de nenhum país se permitiria atuar com tanta negligência no espaço aéreo, digamos, da Alemanha, França ou Itália. Na Estônia já pode atuar assim, bem como na Romênia, Polônia, porque para a OTAN estes países são 'de segunda categoria'. Estamos perante uma atitude de desprezo", afirmou Aleksandr Zhilin.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas