Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Lockheed oferece jato híbrido de F-22/F-35 à USAF

Com o corpo de Raptor e o cérebro do JSF, o novo jato teria como objetivo responder às ameaças russas e chinesas da próxima década


Poder Aéreo

A Lockheed Martin está oferecendo discretamente à Força Aérea dos EUA, uma nova variante do F-22 Raptor, equipada com a aviônica de missão mais moderna do F-35 e algumas mudanças estruturais, informou o site americano Defense One.

F-22 e F-35

Essa é uma das várias opções que estão sendo oferecidas para os militares e aliados dos EUA, enquanto a Lockheed explora como poderá atualizar seus jatos de combate para conter as ameaças russas e chinesas previstas pelas autoridades militares na próxima década, segundo pessoas com conhecimento direto do planejamento.

“Estão construindo uma aeronave híbrida”, David Deptula, um tenente-general aposentado da Força Aérea que agora é reitor do Instituto Mitchell de Estudos Aeroespaciais. “Não é um F-22. Não é um F-35. É uma combinação disso. Isso pode ser feito muito mais rapidamente do que a introdução de um novo design”.

A nova variante – similar a que a Lockheed está oferecendo para o Japão – incorporaria o sistema de missão mais moderno do F-35 e “outros avanços nos revestimentos stealth e coisas dessa natureza”, segundo uma pessoa familiarizada com a proposta.

“Há muito potencial nessa ideia”, disse Deptula. “Eu não estou sugerindo que iremos direto ao ponto e aceitemos isso, mas da perspectiva japonesa, quando eles estão buscando e dispostos a investir nesse tipo de alternativa, em vez de tentar construir uma aeronave autóctone que não vai conseguir chegar perto do que um F-22 já pode oferecer. É uma jogada inteligente em nome deles.”

Um porta-voz da Lockheed se recusou a comentar sobre o projeto.

A proposta tem ecos da evolução dos anos 90 do F/A-18 Hornet no Super Hornet. Oferecido como um projeto de baixo risco, o F/A-18E/F acabou por exigir um redesenho de quase todas as partes externas. A nova asa provou ser inicialmente problemática, mas o design acabou sendo bem sucedido.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas