Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Marinha chinesa prova suas capacidades no mar da China Oriental

Navios chineses interceptaram mísseis no decurso das manobras efetuadas no mar da China Oriental.


Sputnik

A Marinha da China realizou exercícios de defesa aérea e antimíssil com fogo real nas águas do mar da China Oriental, informou na segunda-feira (13) o jornal militar oficial chinês PLA Daily. Mais de dez navios participaram das manobras, durante as quais foram interceptados diversos mísseis antinavio.

Resultado de imagem para Meizhou frigate
Fragata chinesa de mísseis Meizhou

Os navios tinham como missão detectar múltiplos mísseis e escolher um método apropriado para interceptá-los. A fragata de mísseis Meizhou da Frota Marítima do Sul da China abateu um míssil antinavio na primeira tentativa.

De acordo com o especialista militar Song Zhongping, os exercícios ajudarão a "fortalecer a capacidade de defesa em resposta a possíveis ameaças de mísseis antinavio do Japão, Estados Unidos e outros países próximos à China". Além disso, os sistemas antimíssil no mar contribuirão para proteger as áreas costeiras do país.

"A capacidade antimíssil é essencial para construir uma Marinha estratégica e totalmente funcional, de maneira a garantir que o Exército Popular de Libertação (PLA) esteja preparado para combater", destacou.

De 10 a 13 de agosto, a Marinha chinesa efetuou manobras navais "importantes" para garantir segurança do país.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas