Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Mísseis ucranianos 'superam' mísseis russos, declara político ucraniano

O chefe do Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia, Aleksandr Turchinov, considera que os mísseis ucranianos não são inferiores aos análogos russos, mas até os "superam".


Sputnik

Segundo informou a assessoria de imprensa do Conselho durante visita à construtora ucraniana Luch, Turchinov tomou conhecimento das novas tecnologias de produção de mísseis.

Resultado de imagem para Stugna-P
Míssil antitanque ucraniano Stugna-P | Reprodução

"Para nós é muito importante o fato de que os mísseis da Luch não são inferiores, mas, pelo contrário, são melhores pelas suas capacidades de combate que as armas análogas de produção russa", a assessoria de imprensa cita as palavras de Turchinov.

Segundo ele, os sistemas de mísseis antitanque ucranianos Skif, Stunga, Korsar, Sarmat e Barier são famosos fora da Ucrânia e são "produtos de grande procura nos mercados estrangeiros de armamento".

Além disso, Turchinov discutiu com a administração da Ukroboronprom (consórcio de empresas industriais militares do Estado) e o escritório de projetos Luch a realização do programa nacional de mísseis, em particular, os novos modelos de lançadores múltiplos de foguetes e de sistemas de mísseis antiaéreos.

A Ucrânia informa periodicamente sobre testes de novas armas, mas depois frequentemente se verifica que são tecnologias da época soviética. Assim, no fim de julho, internautas zombaram da aparência dos sistemas de mísseis antitanque Stugna-P e Korsar apresentados pela empresa Luch. Muitas pessoas duvidaram que os sistemas tenham sido elaborados na Ucrânia.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas