Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Por que Israel prefere caças antigos F-15 aos novos F-35?

A Força Aérea de Israel prefere os aviões antigos F-15 Eagle aos mais novos F-35 Joint Strike Fighter. De acordo com a matéria da revista norte-americana Popular Mechanics, o motivo é determinado pelo potencial adversário de Israel, o Irã. Nas operações contra este país, são necessários aviões capazes de carregar a bordo mais combustível e armas.


Sputnik

De acordo com a edição, Israel divide o seu parque aéreo militar em duas categorias: os aviões que são capazes de atacar alvos na fronteira com o Líbano e a Síria, e os aviões capazes de atingir alvos remotos, mas importantes, tais como as instalações nucleares iranianas. Israel possui os F-35 para resolver a primeira tarefa, e os F-15 para a segunda. Embora o F-35 seja mais moderno e mais furtivo, carece de alcance para atingir alvos no Irã.

F-15 da Força Aérea israelense, foto de arquivo
F-15 israelense © AP Photo / Ariel Schalit

Pelo contrário, Israel utiliza os F-15 há mais de 40 anos, tendo sido um dos primeiros países a receber os aviões e a utilizá-los em ação. O F-15 assegura a combinação de potência e alcance, o que permite a Israel atingir alvos inacessíveis para a maioria dos veículos de combate, destacou a revista.

Segundo a matéria, apesar de possuir meios de comunicação modernos e sensores, a maior desvantagem do F-35 é sua relativamente baixa capacidade de portar bombas. Neste sentido, os engenheiros israelenses estão limitados em seus desejos de modernizar o avião.

Sendo assim, Israel provavelmente vai suspender a compra dos F-35, se limitando a 50 aviões do tipo, e vai encomendar os restantes 25 somente após a aquisição de um grande número de aeronaves F-15, sugeriu a revista. O país planeja adquirir de 20 a 25 novíssimos F-15 2040C. Estes aviões são dotados de um radar moderno, um sensor orientado por infravermelho para detecção remota, bem como da capacidade de portar até 16 mísseis AMRAAM de médio alcance. Na versão israelense também será utilizado um equipamento de troca de dados com outros aviões.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas