Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Revista norte-americana revela 'arma secreta' do tanque Armata

A arma secreta do tanque T-14, criado na base do Armata, é o sistema de proteção ativa Afganit, escreveu a revista National Interest.


Sputnik

De acordo com a edição, a proteção ativa do novíssimo tanque russo foi completada com "inovações e sistemas nunca antes vistos". Os desenvolvedores do Afganit pretendiam combinar em um só sistema as vantagens de dois: do sistema de proteção antitanque Drozd e do sistema de supressão ativa ótica e eletrônica Shtora.

Tanque da terceira geração T-14 Armata
Tanque russo T-14 Armata © Sputnik / Maksim Blinov

De acordo com a edição, o Afganit compreende a instalação de dois radares de varredura eletrônica ativa dos dois lados do canhão, cada um dos quais teria um ângulo de varredura um pouco maior que 90°. Estes radares funcionarão tanto em regime ativo, como em regime passivo. No regime passivo seriam capazes de detectar estações de radar de detecção de alvos terrestres e até, talvez, interceptar sinais enviados a mísseis guiados antitanque.

Além disso, o novo sistema incluirá um conjunto de sensores óticos para monitorar lançamentos de mísseis antitanque. Para os mesmos fins, o sistema será equipado com receptores a laser, utilizados desde os anos 80.

De acordo com a revista, o sistema Afganit inclui a instalação na parte traseira da torre do tanque de lançadores que disparam substâncias especiais para criação de cortinas de fumaça e dispersão de materiais que produzem a reflexão de ondas de rádio ou radiação térmica.

Além disso, o novo sistema incluirá uma plataforma que dispara projetis de choque com uma velocidade de cerca de 1,7 quilômetros por segundo para interceptar projetis antitanque, caso os meios de proteção "suaves" não sejam eficazes.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas