Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Senador pede que Estados Unidos parem de apoiar a guerra conduzida pelos sauditas no Iêmen

O senador Chris Murphy pediu que os Estados Unidos acabem com todo o apoio à guerra liderada pelos sauditas no Iêmen após uma investigação das Nações Unidas indicar que crimes de guerra estão sendo perpetrados com armas fornecidas pelos EUA.


Sputnik

"O Painel de Especialistas da ONU no Iêmen diz que é provável que crimes de guerra estejam sendo cometidos com armas e supervisão dos EUA, e mesmo assim Washington está tomando zero medidas em resposta", disse Murphy. "Como o Congresso pode continuar financiando esta guerra diante dos crimes de guerra apoiados pelos EUA?".

Artilharia do Exército saudita dispara contra o Iêmen a partir de um posto perto da fronteira saudita-iemenita, no sudoeste do país, em 13 de abril de 2015. A Arábia Saudita lidera uma coalizão de vários países árabes realizando ataques aéreos contra os rebeldes xiitas Huthis que invadiram a capital Sanaa em setembro e se expandiram para outras partes do Iêmen.
Militares da Arábia Saudita disparando contra o Iêmen © AFP 2018 / FAYEZ NURELDINE

Murphy estava comentando sobre um relatório ordenado pelas Nações Unidas que descobriu que o conflito no Iêmen estava violando a lei internacional.

"Simplesmente não há como nossa participação neste cataclismo de mortes de civis tornar nosso país mais seguro. O mundo está vendo o que estamos fazendo no Iêmen… Espero que este relatório seja um grande alerta para o Congresso e para a administração", disse.

Segundo o relatório, o Grupo de Peritos Eminentes Regionais e Internacionais no Iêmen sugere fortemente que as partes do conflito armado no Iêmen violaram e continuam a violar o direito internacional, com a coalizão liderada pela Arábia Saudita responsável pela maioria das vítimas civis documentadas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas