Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Variante naval do LCA Tejas testa gancho de parada (VIDEO)

A variante naval do Tejas Light Combat Aircraft (LCA) da Índia conduziu o seu primeiro enganche de táxi para provar seu sistema de gancho de parada, na Instalação de Testes Baseada em Terra (SBTF – Shore Based Test Facility) localizada na INS Hansa em Goa.


Poder Aéreo

A aeronave, que conduziu o enganche, foi o segundo protótipo Tejas Naval designado NP-2 (KH3002).

LCA Tejas versão naval
LCA Tejas versão naval

O NP-2 realizou seu voo inaugural com um gancho acoplado, no mês passado, a partir da INS Hansa, uma estação aérea naval indiana localizada perto de Dabolim em Goa.

A próxima fase do programa será a realização de pousos enganchados no Centro de Testes Baseados em Terra. O SBTF foi anteriormente usado para treinar e certificar pilotos de caça da Marinha Indiana nos caças Mikoyan MiG-29K para o porta-aviões INS Vikramaditya, e agora é usado para os testes de desenvolvimento do HAL Tejas naval.

O voo inaugural do Tejas naval equipado com um gancho de cauda foi visto como um novo desenvolvimento possivelmente denotando o reinício do programa Naval LCA. Em dezembro de 2016, a Marinha Indiana anunciou que o caça Tejas estava com sobrepeso e que procuraria outras alternativas. A Marinha Indiana finalmente emitiu um RFI para 57 caças multifuncionais navais.

O LCA Naval é o primeiro esforço autóctone da Índia para construir uma aeronave de caça baseada em porta-aviões. A variante naval reforçou a fuselagem e o trem de pouso e o nariz para baixo para uma melhor visão da cabine durante as decolagens e aterrissagens.

Os protótipos navais do Tejas, NP1 e NP2, são propulsados por motores turbofan de pós-combustão General Electric F404-GE-F2J3 e são usados ​​para testes iniciais. Eles completaram com sucesso os testes em Goa, durante os quais a decolagem curta (200 metros) do SBTF foi realizada junto com o reabastecimento a quente. O protótipo da aeronave de combate ainda está para realizar seu teste de voo de um porta-aviões. O teste embarcado provavelmente só será realizado após a realização de testes de aterrissagem na SBTF.

O NP-1 fez seu primeiro voo em 27 de abril de 2012, enquanto o NP-2 fez seu primeiro voo em 7 de fevereiro de 2015.


Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas