Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Caça furtivo J-20 aproxima-se da produção em massa após correção de problemas no motor

O propulsor melhorado dará ao jato chinês a capacidade de voar sem ser detectado em velocidades supersônicas, a par com o F-35 dos Estados Unidos


Poder Aéreo

Um motor novo e melhorado projetado para tornar o caça furtivo J-20 da China um jato de combate de classe mundial deve estar pronto para a produção em massa até o final do ano, disseram fontes militares.

Chengdu J-20
Chengdu J-20

O motor WS-15 apresenta lâminas monocristalinas de turbina de ponta e está em desenvolvimento há vários anos, mas os técnicos chineses têm lutado para colocá-lo em produção em massa.

No entanto, muitos dos problemas – que, em grande parte, estão relacionados ao superaquecimento das pás em velocidades máximas – foram resolvidos em testes de solo e voos de teste, colocando a meta de um produto consistentemente de alta qualidade à vista, disseram fontes ao South China Morning Post.

Pequim está disposta a ter uma aeronave furtiva capaz de competir com os melhores do mundo, à medida que as tensões aumentam na região da Ásia-Pacífico e com os Estados Unidos, aumentando a utilização de seus caças F-22 e F-35 na região.

“O WS-15 deverá estar pronto para instalação generalizada nos J-20 até o final deste ano”, disse uma das fontes.

Embora alguns “problemas menores” permanecem, estes devem ser resolvidos uma vez que o motor tenha sido mais “empregado extensivamente na aeronave”, disse a fonte.

O especialista militar de Pequim, Zhou Chenming, disse que a China espera que os EUA posicionem entre 200 e 300 F-35 – o mais avançado caça furtivo – na Ásia-Pacífico em 2025, o que significa que “a China precisa de um número similar de J-20s”, ou pelo menos 200”.

Doze F-35 chegaram à Base Aérea Kadena da Força Aérea dos EUA no Japão em novembro, enquanto a Coreia do Sul disse que planeja receber 40 dos caças.

Uma segunda fonte militar disse que os problemas com o motor WS-15 precisavam ser resolvidos antes que grandes números do J-20 pudessem ser fabricados.

“A China atualmente tem cerca de 20 caças J-20, o que está longe de ser suficiente”, disse a fonte. “Ter um motor caseiro é essencial para o J-20 entrar na produção em massa, já que nenhum outro país estaria disposto a dar à China uma tecnologia de ponta”.

As alegações das fontes acrescentam peso a uma reportagem de abril da emissora estatal China Central Television (CCTV), segundo o qual a Chengdu Aerospace Corporation, que fabrica o J-20, abriria uma quarta linha de produção para o caça furtivo em 2019.

No mês passado, a CCTV informou que a Força Aérea da China havia intensificado seu programa de treinamento para pilotos J-20.

O Exército de Libertação Popular disse que o J-20 entrou em serviço de combate em 9 de fevereiro e trabalhava ao lado de outras aeronaves de quarta geração, como os caças J-16 e J-10 e o bombardeiro estratégico H-6K. Em maio, participou de exercícios de cerco em torno de Taiwan.

O Post informou em fevereiro que o J-20 na época estava equipado com um motor “temporário”.

Uma das fontes militares disse que o público poderá vislumbrar pela primeira vez o novo caça furtivo, completo com seu motor aprimorado, na Exposição Internacional de Aviação e Aeroespacial da China no final do ano.

O evento, que acontece a cada dois anos, será realizado de 5 a 11 de novembro em Zhuhai, província de Guangdong, sul da China.

FONTE: South China Morning Post

Comentários

Postagens mais visitadas