Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump reconhece soberania de Israel sobre Colinas de Golã

Ao lado de Netanyahu, presidente dos EUA contradiz décadas de política externa e reconhece a soberania de Israel sobre o território, ocupado em 1967 e anexado em 1981. Síria vê ataque a sua integridade territorial.
Deutsch Welle

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu formalmente nesta segunda-feira (25/03) a soberania de Israel sobre as Colinas de Golã, um território disputado com a Síria e que Israel anexou em 1981.

O governo do presidente sírio, Basahr al-Assad, respondeu de imediato e afirmou que a decisão é um ataque à soberania e à integridade territorial da Síria.

O decreto de reconhecimento foi assinado no início de um encontro com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, em Washington. Trump justificou a medida com as "ações agressivas" do Irã e de grupos "terroristas" contra Israel.

Netanyahu disse que se trata de um dia histórico e que Trump é o melhor amigo que Israel já teve.

Em Israel, o reconhecimento pode significar um forte i…

Cientista política estima risco de terroristas simularem ataque químico realista em Idlib

Os terroristas estão se preparando para utilizarem substâncias químicas à base de cloro na província síria de Idlib, inclusive contra crianças, informou o Centro Russo para a Reconciliação na Síria. A cientista política e orientalista Karine Gevorgyan comentou a situação durante entrevista ao serviço russo da Rádio Sputnik.


Sputnik

Note-se que a organização Capacetes Brancos participa da preparação da provocação. Além disso, foi instalada uma unidade médica no nordeste de Khan Shaykhun (cidade ao sul da província de Idlib) para ser filmada e depois culpar o Exército da Síria pelo ataque.

Capacetes Brancos limpando destroços de uma casa que foi atingida por um ataque aéreo do governo da Síria, em Idlib, 10 de setembro de 2010
© AP Photo / Uncredited / Source: Syrian Civil Defense White Helmets

Há relatos de que o ataque químico esteja sendo preparado em outra cidade. Para a dramatização, os militantes escolheram 22 famílias com crianças na província de Aleppo.

"Outro grupo de órfãos, sequestrados de campos de refugiados, irá ser utilizado na filmagem das cenas letais e agora é mantido na prisão de Iqab, controlada pelos terroristas da Frente al-Nusra [proibida na Rússia]", informou o relatório.

O risco de organizarem uma provocação em grande escala é muito alto, comunicou a cientista política em entrevista à Rádio Sputnik.

"A situação é muito complicada. Por um lado, parece que todos os países que de alguma forma estão relacionados com a situação na Síria tentam contornar os problemas mais sérios. Por outro lado, sabe-se que o lado norte-americano já fortaleceu sua presença militar na região, e isso causa tensão adicional."

"A probabilidade de que uma provocação em larga escala com ataque químico possa ser organizada é muito grande. Desculpe pela expressão rude — 'o dinheiro foi pago'. Ou seja, o pedido de provocação foi aceito, mas o cancelamento de quem a pediu, aparentemente, ainda não foi feito", disse Gevorgyan.

Em agosto, foi anunciado pelo representante oficial do Ministério da Defesa da Rússia, major-general Igor Konashenkov, que os militantes estariam se preparando para uma provocação. Tal pretexto seria usado para justificar novos ataques de mísseis de Washington e seus aliados.

Segundo ele, os combatentes do grupo terrorista Frente al-Nusra estão envolvidos nisso. Também foi transferido para a região um grupo de militantes treinados no manuseio de substâncias venenosas sob a supervisão de especialistas, declarou Konashenkov.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas