Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares revelam como suas vidas foram destruídas pelo Exército dos EUA

O Twitter oficial do Exército dos EUA realizou uma pesquisa para averiguar como o serviço impactou a vida de seus militares.
Sputnik

Atualmente, mais de 9.000 pessoas já compartilharam suas opiniões. Apesar de constatarem que o serviço no Exército fortalece fisicamente e emocionalmente as pessoas, dando algum sentido às suas vidas e abrindo perspectivas profissionais, há muitos outros comentários com declarações céticas e críticas sobre a influência do Exército dos EUA no mundo, no país e na sua vida pessoal.

Várias pessoas compartilharam histórias de seus familiares que cometeram suicídio, sofreram de transtorno por estresse pós-traumático, passaram por mudanças radicais de caráter e comportamento ou deixaram de ser saudáveis depois de participarem em ações militares dos EUA.

Além disso, há aqueles cujos familiares ou eles próprios foram abusados durante o serviço.

Outros usuários recordaram que os horrores da guerra deixam cicatrizes na mente.

Diversos outros usuários da rede social compa…

Espanha quer reconhecer Estado palestino

Espanha avalia a possibilidade de reconhecer a Palestina como um Estado independente sem condicionar esse passo a um acordo amplo no seio da União Européia (UE), informou hoje o ministro de Assuntos Exteriores, Josep Borrell.


Prensa Latina
Madri - Em um encontro em Madri, Borrell confirmou que 'o tema está na mesa' do executivo presidido pelo socialista Pedro Sánchez, que em junho substituiu o conservador Mariano Rajoy no Palácio da Moncloa.


O chefe da diplomacia espanhola precisou que se trata de 'uma decisão transcendental que há que estudar suas consequências e seus efeitos, e está sendo analisada'.

No seu julgamento, é evidente que a situação na Palestina não pode continuar como está, e deve ser aberto um processo intenso com os demais membros do clube comunitário sobre o tema para tomar decisões.

'No caso de que a UE não seja capaz de tomar uma decisão conjunta, que cada qual assuma sua responsabilidade', enfatizou.

Comentou que na mais recente reunião da comissão de Assuntos Exteriores do bloco perguntou a seus homólogos europeus, sem receber resposta, que segue crendo na solução dos dois Estados (o israelense e o palestino), como via para resolver o prolongado conflito.

Em 2014, o Congresso dos Deputados pediu ao então Governo de direita do Partido Popular de Rajoy para reconhecer a Palestina como Estado soberano.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas