Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Irã estaria contrabandeando armas para Líbano destinadas ao Hezbollah, diz mídia

Os serviços de inteligência ocidentais acreditam que o Irã esteja vendendo armas ilegalmente para o Líbano, particularmente para os militantes do movimento libanês xiita Hezbollah, informou o canal americano Fox News, citando fontes.


Sputnik

O artigo diz que a companhia aérea iraniana Fars Air Qeshm realizou nos últimos dois meses dois voos "raros e incomuns" de Teerã para Beirute. O primeiro teve lugar em 9 de julho, quando um avião Boeing 747 decolou da base aérea em Teerã, fez uma escala rápida no aeroporto de Damasco e depois se dirigiu para o aeroporto da capital libanesa por uma "rota incomum", ou seja, voou através da parte norte do Líbano.

Avião da companhia aérea iraniana Qeshm Fars Air
Boeing 747F da Fars Air Qeshm | CC BY-SA 4.0 / Gsmar / IMAG1379

"Os iranianos estão tentando encontrar novos meios e rotas para contrabandear armas do irã para seus aliados no Oriente Médio, testando e desafiando as capacidades do Ocidente de monitorá-los", disse uma fonte ao Fox News.

Os serviços secretos ocidentais acreditam que o avião tivesse transportado componentes para a produção de armas de alta precisão nas fábricas iranianas no Líbano.

O segundo voo foi realizado de Teerã para Beirute em 2 de agosto. Segundo a mídia, o avião não fez escala em Damasco, mas "seguiu uma rota um pouco irregular a norte da Síria".

Em maio, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, anunciou a nova política dos EUA em relação ao Irã, exigindo que Teerã, além de cessar o programa nuclear e de mísseis, pare de apoiar os grupos armados na região, incluindo o Hezbollah no Líbano. Washington também insiste em que o Irã retire todas as suas forças do território sírio.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas