Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

Irã: presença dos EUA na Síria 'deve terminar imediatamente'

Nesta sexta-feira (7), o presidente iraniano Hassan Rouhani afirmou que é difícil esperar de Washington "um papel positivo na regulação da situação na Síria", ressaltando que a presença de tropas norte-americanas no país árabe "deve terminar imediatamente".


Sputnik

Os líderes da Rússia, Turquia e Irã se reuniram hoje (7) em Teerã para discutir a situação na Síria, particularmente na província de Idlib.

Militar norte-americano na cidade de Manbij, Síria
Tropa dos EUA na Síria © AP Photo/ Hussein Malla

A presença dos EUA na Síria é ilegal, pois não foi aprovada pelo governo de Assad e somente dificulta o processo de paz, segundo o líder iraniano, adicionando ele que a luta antiterrorista na província de Idlib é um passo crucial no processo de paz sírio.

"É evidente que os americanos estão na Síria de forma ilegal e somente se dedicam à agressão […] A intervenção dos Estados Unidos na Síria não tem base em nenhuma norma do direito internacional, sua presença agrava o problema e dificulta o estabelecimento de uma paz sustentável no país", declarou Rouhani.

Além disso, o presidente iraniano destacou que Teerã manterá sua presença na Síria para "lutar contra o terrorismo a pedido do governo legítimo do país".

"E a continuação de nossa presença na República Árabe da Síria será resolvida no futuro a partir do mesmo princípio", afirmou o presidente.

Ele ainda complementou seu discurso falando que a presença iraniana "não serve para impor nossa vontade a ninguém".

"Sempre apoiaremos a vontade do povo sírio como a de um povo amigo […] Estamos plenamente conscientes das preocupações dos países da região com o terrorismo e o separatismo. Cremos que a cooperação com o governo legítimo da Síria é a abordagem mais eficaz e sustentável, e estamos firmemente convencidos de que outras abordagens, como a intervenção direta sem coordenação com o Exército sírio, podem agravar a situação no país", concluiu Rouhani.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas