Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Marinha da Ucrânia acusa Rússia de criar 'incidentes perigosos'

A Marinha da Ucrânia declarou que a Rússia alegadamente criou "incidentes perigosos" quando dois navios ucranianos estavam atravessando o estreito de Kerch.


Sputnik

Segundo destaca o comunicado na página oficial da entidade militar no Facebook, durante a recente passagem de navios ucranianos por águas do estreito, estes foram escoltados pelos navios de guerra russos Priazovie, Ametist e Don. Ademais, no próprio estreito de Kerch a escolta foi aumentada com mais de uma dezena de lanchas e navios do FSB (Serviço Federal de Segurança) e da Frota do Mar Negro.

A imagem pode conter: oceano, céu, atividades ao ar livre e água
Reprodução Facebook

De acordo com a Marinha ucraniana, as Forças Armadas da Rússia criaram uma série de "incidentes perigosos". Em particular, o navio de reconhecimento russo Priazovie alegadamente aproximou-se demasiado de um navio ucraniano, ficando a apenas 440 metros de distância, o que violou as regras internacionais e criou uma situação perigosa.

Ao mesmo tempo, o comunicado indica que um caça russo Su-27 criou "condições para uma situação de acidente no ar", aproximando-se de um An-26 da Força Aérea da Ucrânia a uma distância arriscada.

Na véspera, os navios ucranianos Donbass e Korets passaram ao longo da costa da Crimeia, entrando na zona econômica exclusiva da Rússia. Segundo informa a mídia, ambos os navios saíram do porto em Odessa e dirigem-se para o mar de Azov. No domingo (23), os navios navegaram através do estreito de Kerch.

No entanto, de acordo com o Serviço de Fronteiras russo da região, os navios ucranianos foram escoltados "em concordância com as normas do direito marítimo internacional e com os interesses de segurança da Federação da Rússia".

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas