Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Militares estadunidenses afirmam que submarinos russos são um 'adversário duro'

A imprensa estadunidense chamou o submersível russo Kazan do projeto Yasen-M de "maior submarino inimigo", sublinhando que mesmo seu antecessor, o Severodvinsk, já era bastante imponente.


Sputnik

"Enfrentaremos um potencial adversário duro. Basta dar uma olhada no Severodvinsk", escreveu a edição The National Interest, citando o contra-almirante americano Dave Johnson.

Submarino Severodvinsk do projeto Yasen-M russo no mar de Barents (foto de arquivo)
Submarino russo Severodvinsk, do Projeto Yasen-M © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

Vale assinalar que o almirante da Marinha James Foggo também elogiou o submarino Severodvinsk.

"É um submarino muito impressionante. Se analisarmos o desenvolvimento da Marinha russa, como é que tem gasto os recursos, fica claro que os principais esforços nas pesquisas e construção foram em primeiro lugar destinados ao reforço da frota submarina", disse, citado pela revista.

Ao mesmo tempo, ele assegura que os EUA continuam mantendo a superioridade nessa área.

"Eu acredito que nós, o Ocidente, ainda temos uma superioridade assimétrica", destacou Foggo.

Conforme foi informado anteriormente, os militares russos deverão receber o novo submarino Kazan em 2019.

Os submarinos atômicos multifuncionais Kazan, Novosibirsk, Krasnoyarsk e Arkhangelsk estão sendo construídos de acordo com o projeto aperfeiçoado Yasen-M (885M). Os navios têm um deslocamento de 13.800 toneladas, profundidade de imersão de 520 metros, uma tripulação de 64 homens, autonomia de 100 dias e a velocidade de 31 nós, além de serem equipados com minas, torpedos de 533 mm e mísseis de cruzeiro Kalibr e Oniks.

Comentários

Postagens mais visitadas