Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump não precisa de autorização do Congresso para declarar guerra ao Irã, diz analista

Donald Trump pode não precisar do aval do Congresso para declarar guerra contra o Irã, algo que seus conselheiros "vêm construindo discretamente" um caso em meio a sanções crescentes, informa Jonathan Allen, da NBC News.
Sputnik

O articulista afirma que os principais elementos do plano incluem ligar a al-Qaeda ao Irã para retratar a República Islâmica como uma ameaça terrorista aos EUA, "o que é exatamente o que as autoridades do governo vêm fazendo nas últimas semanas".

"Isso poderia dar a Trump a justificativa que ele precisa para combater o Irã sob a resolução de uso de força de 2001, sem aprovação do Congresso", Allen argumenta, acrescentando que o Congresso dificilmente concederá ao presidente americano "nova autoridade para atacar o Irã nas circunstâncias atuais ”.

Os comentários do autor vêm depois que o New York Times citou vários altos funcionários norte-americanos não identificados dizendo que “[o presidente Donald] Trump foi firme em dizer que…

Ministério da Defesa da Rússia revela informações detalhadas sobre abate de Il-20 na Síria

Hoje (23), a entidade russa realiza um briefing especial para desvendar os pormenores do trágico abate do avião Il-20 na Síria, em 17 de setembro, em meio às tentativas israelenses de bombardear o território de Latakia e à subsequente resposta das forças de defesa antiaérea sírias.


Sputnik

Antes de começar o discurso, o representante oficial do ministério, Igor Konashenkov, disse que apresentaria a cronologia dos eventos por minutos, se baseando em dados objetivos dos equipamentos de radar.

Avião militar russo Ilyshin-20 (foto de arquivo)
Ilyushin Il-20 © Sputnik / Aleksandr Tarasenkov

De acordo com o representante, a parte israelense tinha advertido Moscou sobre o iminente ataque por áudio, falando em língua russa. Entretanto, assinalou Konaskenkov, Tel Aviv tinha indicado um lugar incorreto do ataque, "deixando a Rússia mal informada". Essa foi a causa do Il-20 não ter conseguido sair para uma zona segura, frisou.

Konashenkov detalhou particularmente que a representante do comando da Força Aérea de Israel tinha assegurado que os alvos destinados ao ataque da aviação israelense estariam "no norte da Síria". Entretanto, Latakia é uma província ocidental.

Ainda de acordo com a entidade, os pilotos israelenses dos caças F-16 "se protegeram por trás do Il-20" deliberadamente.

"Vou frisar em particular que, tendo avistado o Il-20 russo, os caças israelenses o usaram como cobertura dos mísseis antiaéreos, continuando a manobrar nessa região", disse Konashenkov.

"O piloto israelense não podia não perceber que a superfície refletora efetiva do avião Il-20 é muito maior que a do caça F-16, e seria precisamente a aeronave russa que serviria de alvo preferencial para um míssil antiaéreo", explicou o representante do ministério.

Deste modo, concluiu o general, Moscou acredita que toda a responsabilidade pelo abate do avião de reconhecimento Il-20 na Síria deve ser atribuída à parte israelense.

"Os dados objetivos apresentados são a prova de que as ações dos pilotos dos caças israelenses, que causaram a morte de 15 militares russos, significam ou sua falta de profissionalismo, ou, no mínimo, uma negligência criminosa. Por isso, acreditamos que a culpa pela tragédia envolvendo o avião russo Il-20 cabe completamente à Força Aérea de Israel e àqueles que tomaram a decisão sobre tais ações", manifestou Konashenkov.

O avião russo Il-20, a bordo do qual estavam 15 militares, foi derrubado por um míssil do complexo S-200 do exército sírio na noite da segunda-feira (17), matando todos os tripulantes. Segundo afirmou o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, a aeronave foi derrubada por mísseis sírios em resposta às ações da aviação israelense, que estava "se cobrindo" pelos aviões russos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas