Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

Ofensivas insurgentes matam 31 soldados e 81 talibãs no Afeganistão

Pelo menos 48 membros das forças de segurança afegãs e 120 talibãs morreram em três ofensivas dos insurgentes no norte e na região central do país, assim como dezenas de pessoas ficaram feridas, informaram à Agência Efe fontes oficiais.


EFE

Cabul - Na província de Kunduz, os talibãs lançaram um ataque noturno contra um posto de controle das tropas afegãs no distrito de Dasht-e-Archi, que deixou 13 mortos e 15 feridos no lado governamental, disse o chefe do Conselho Provincial, Yusuf Ayubi.

Membros das forças de segurança afegãs em foto de 9 de setembro. EFE/EPA/JAWAD JALALI
Membros das forças de segurança afegãs em foto de 9 de setembro. EFE/EPA/JAWAD JALALI

O porta-voz da polícia de Kunduz, Inamuddin Rahmani, confirmou a ação, mas reduziu o número de policiais mortos para dois e o de feridos para quatro, em um ataque que também deixou 11 talibãs mortos.

Dezenas de talibãs também atacaram ontem à noite o centro do distrito de Khamaab, na província Jawzjan, e ocuparam os edifícios governamentais e postos de controle da demarcação administrativa, indicou o chefe de Segurança Hafiz Khashi.

"Oito membros de nossas forças de segurança morreram e três ficaram feridos, enquanto dez talibãs foram mortos e 13 ficaram feridos", acrescentou Khashi, antes de explicar que a região permanece sob controle insurgente.

Uma ofensiva similar no distrito de Daimirdad, na província de Maidan Wardak, causou a morte de dez membros das tropas afegãs, entre eles o chefe da polícia local, enquanto 60 talibãs morreram e cem ficaram feridos, segundo o porta-voz do governador de Maidan Wardak, Rahim Mangal.

"Algumas partes do distrito foram parar nas mãos dos talibãs, mas as forças de segurança conseguiram defender com sucesso o centro da demarcação administrativa e lançaram um contra-ataque para recuperar o território perdido", detalhou a fonte.

Na província nortista de Sar-e-Pol, os talibãs lançaram ontem à noite ataques desde distintos pontos contra a capital homônima e o distrito de Sayad, o que derivou em enfrentamentos nos quais morreram 17 membros das forças de segurança e 39 insurgentes.

O governador de Sar-e-Pol, Zahir Wahdat, confirmou as mortes em mensagem de vídeo divulgada em sua página oficial do Facebook e assegurou que já chegaram reforços à capital.

Os talibãs continuam suas ofensivas contra as forças de segurança afegãs três semanas após a proposta de cessar-fogo de três meses do presidente do país, Ashraf Ghani, desde que os insurgentes também a adotem.

Os talibãs não responderam à oferta e as operações militares continuaram em curso normal.

De acordo com informações divulgadas no final do ano passado pelo Congresso dos Estados Unidos, o Executivo afegão controla cerca de 56% do Afeganistão, os talibãs dominam 11% e o resto é território em disputa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas