Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

Por que Marinha russa não precisa de porta-helicópteros?

A Rússia é capaz de construir porta-helicópteros, mas sua utilização pela Marinha do país tem desvantagens, acredita o ex-comandante da Frota do Báltico russa, almirante Vladimir Valuev.


Sputnik

O comentário vem após o ministro da Indústria e Comércio da Rússia, Denis Manturov, ter dito que os produtores russos podem construir porta-helicópteros e estão prontos a vendê-los a clientes estrangeiros caso haja interesse.

Porta-helicópteros Vladivostok, da classe Mistral
Porta-helicópteros Vladivostok, da Classe Mistral © AP Photo / Laetitia Notarianni

Porém, o ex-comandante Valuev duvida que a Rússia precise deste tipo de navios.

"Nossa indústria naval é capaz de produzir qualquer tipo de navios. Mas a necessidade de construir navios de superfície ou submarinos deve ser argumentada pela doutrina de cada país. Após considerar todos os prós e contras, nossas autoridades militares chegaram à conclusão de que a construção de porta-helicópteros para a Marinha russa é pouco prática, pois suas funções [de porta-helicópteros] duplicariam as de outras armas, incluindo navios de desembarque", detalhou o almirante.

Valuev também ressaltou que, nas condições atuais, quando possíveis adversários da Rússia possuem armas de alta precisão, porta-helicópteros acabam sendo um "alvo flutuante".

"Neste caso, um porta-helicópteros dura poucas horas, sendo o alvo principal dos mísseis inimigos", sublinhou.

Mesmo assim, o militar concordou com o ministro da Indústria e Comércio que os estaleiros russos têm todas as competências para construir tais navios para exportação.

Antes, a Rússia planejava comprar porta-helicópteros à França. O acordo de venda de dois navios Mistral foi firmado em 2011, mas em 2015 as partes decidiram rescindir o contrato devido às sanções antirrussas.

Comentários

Postagens mais visitadas