Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump não precisa de autorização do Congresso para declarar guerra ao Irã, diz analista

Donald Trump pode não precisar do aval do Congresso para declarar guerra contra o Irã, algo que seus conselheiros "vêm construindo discretamente" um caso em meio a sanções crescentes, informa Jonathan Allen, da NBC News.
Sputnik

O articulista afirma que os principais elementos do plano incluem ligar a al-Qaeda ao Irã para retratar a República Islâmica como uma ameaça terrorista aos EUA, "o que é exatamente o que as autoridades do governo vêm fazendo nas últimas semanas".

"Isso poderia dar a Trump a justificativa que ele precisa para combater o Irã sob a resolução de uso de força de 2001, sem aprovação do Congresso", Allen argumenta, acrescentando que o Congresso dificilmente concederá ao presidente americano "nova autoridade para atacar o Irã nas circunstâncias atuais ”.

Os comentários do autor vêm depois que o New York Times citou vários altos funcionários norte-americanos não identificados dizendo que “[o presidente Donald] Trump foi firme em dizer que…

Reino Unido deslocará 800 militares para a Noruega

No âmbito de nova estratégia para o Ártico, o Reino Unido deslocará no próximo ano para a Noruega 800 fuzileiros navais e efetivos das tropas especiais, comunicou o ministro britânico da Defesa, Gavin Williamson.


Sputnik

Em entrevista ao jornal The Telegraph, Williamson sublinhou que esta medida de Londres faz parte da nova estratégia que deve permitir ao Reino Unido vigiar, de maneira eficaz, as atividades dos submarinos russos. Ademais, o plano supõe que as forças britânicas serão capazes de responder rapidamente a qualquer ameaça.

Fuzileiros navais de vários países participam de exercícios militares na Noruega
CC BY 2.0 / Departamento de Defesa dos EUA

Em particular, para cumprir essa tarefa, os militares britânicos planejam usar seu avião P-8 Poseidon.

"Vemos que o nível da atividade dos submarinos russos é muito próximo do da Guerra Fria, e será correto se reagirmos a isso", afirmou.

Ao mesmo tempo, o ministro destacou que a ameaça proveniente dos submarinos no Extremo Norte e no Atlântico do Norte "realmente voltou ao primeiro plano".

Está previsto no âmbito da nova estratégia que os militares britânicos deslocados na Noruega cooperem com as Forças Armadas norueguesas, bem como com a infantaria naval dos EUA e da Holanda.

Recentemente, o ministro britânico da Defesa também frisou que os caças-bombardeiros F-35B conseguiram pela primeira vez na história pousar no convés do porta-aviões britânico HMS Queen Elizabeth. De acordo com ele, tal resultado demonstra o "renascimento da força" britânica e mostra que o país é capaz de efetuar "ataques decisivos a partir do mar" em qualquer parte do mundo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas