Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Revista norte-americana indica o que 'estraga' capacidades furtivas do F-35

O caça norte-americano de quinta geração F-35B Lightning II, de aterrissagem e decolagem verticais, é capaz de transportar bombas pesadas exclusivamente no exterior da fuselagem, o que priva o avião de suas vantagens furtivas.


Sputnik

"O F-35B não é capaz de transportar bombas de duas mil libras [907 kg] de forma furtiva, já que elas precisam ser suspensas no exterior", escreveu o autor do artigo, Charlie Gao. De acordo com a edição, a maior parte das bombas antibunker norte-americanas são pesadas demais para serem colocadas no compartimento interno do F-35B Lightning II, embora a versão básica do caça (F-35A) permita fazê-lo. 

Caça F-35B
F-35 Lightning II © Foto : Lockheed Martin

O autor frisou que é difícil para um F-35B Lightning II voar completamente armado, dado que os armamentos tornam a aeronave pesada demais, impossibilitando o seu pouso vertical sobre um porta-aviões.

"Se um F-35B levantasse voo com o peso máximo, precisaria gastar todos os armamentos em combate ou jogá-los antes de pousar", escreveu.

Não obstante isso, segundo a revista, o F-35B continua sendo praticamente o mesmo avião que o F-35A, com algumas limitações quanto às capacidades de manobra e armas. "Possui os mesmos sistemas de sensor excelentes, radar e capacidade de transmissão de dados", ressaltou a edição.

Desde 2001, a família de caças polivalentes de quinta geração F-35 Lightning II está sendo produzida pela empresa Lockheed Martin. Existem três versões do caça: para a Força Aérea, com curta decolagem e aterrissagem vertical, e a versão embarcada.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas