Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Militares juntam-se à polícia em protesto dos "coletes amarelos". Há 31 detidos

Os militares da operação antiterrorista "Sentinela" foram mobilizados para proteger as principais instituições francesas. Ao final da manhã, os coletes amarelos eram ainda em pequeno número na capital e quase invisíveis entre a população.
Diário de Notícias

As forças armadas francesas juntaram-se à polícia, este sábado, em Paris, para enfrentar o 19º fim de semana consecutivo de protestos dos coletes amarelos contra o governo do presidente Emmanuel Macron. Ao final da manhã, com os locais habituais de manifestação interditos e o reforço militar junto às principais instituições francesas, os "coletes amarelos" passavam quase despercebidos entre turistas e parisienses.

Segundo a Reuters, o governo francês decidiu mobilizar os militares da operação antiterrorista "Sentinela", depois de ter proibido os manifestantes de se reunirem nos Campos Elísios, onde no último fim de semana dezenas de lojas foram destruídas e algumas completamente pilhadas.

Além da presença …

Rússia identifica lugar da queda do avião Il-20 na Síria

O Ministério da Defesa russo identificou o lugar da queda do avião militar russo Il-20, 27 quilômetros a oeste do povoado de Baniyas, na província de Latakia.


Sputnik

Segundo a entidade militar, restos dos militares e destroços da aeronave foram retirados do mar e levados a bordo de navios russos deslocados na zona da Síria.

Resultado de imagem para Seliger ship
RFS Seliger | Reprodução

"No momento, identificamos o lugar da queda do avião, 27 quilômetros a oeste do povoado de Baniyas", diz o comunicado do ministério.

Da operação de busca do Il-20 que caiu no mar perto da costa de Latakia participam oito navios, lanchas e embarcações de apoio da Marinha russa. À zona está chegando também a embarcação Seliger, dotada de batiscafos capazes de operar a grande profundidade.

O avião Il-20 desapareceu dos radares em 17 de setembro, por volta das 23h do horário de Moscou, (17h em Brasília) durante o retorno planejado à base aérea de Hmeymim, no espaço aéreo do Mediterrâneo, a 35 quilômetros da costa da Síria, de acordo com o ministério.

A defesa russa sublinhou que, quase ao mesmo tempo, quatro caças F-15 atacaram instalações sírias em Latakia. Segundo a entidade, para evitar a resposta síria, os pilotos israelenses puseram o Il-20 debaixo de fogo do sistema de defesa antiaérea. O avião russo foi abatido por um míssil S-200 sírio, a queda resultou na morte de 15 militares russos.

Para o ministério, os aviões israelenses provocaram propositadamente uma situação ameaçadora na zona de Latakia, pois seus radares não poderiam deixar de ver o avião russo, visto que este estava aterrissando. Além disso, Israel não avisou a parte russa da operação planejada na área de Latakia.

A Defesa russa qualificou as ações de Israel como hostis e afirmou se reservar o direito de tomar medidas de resposta.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas