Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

'Sinal importante' é detectado durante buscas do submarino desaparecido ARA San Juan

O ministro da Defesa argentino, Oscar Raúl Aguad, informou ter sido detectado um sinal importante nas profundezas do oceano, supondo que possa estar ligado com o ARA San Juan – o submarino desaparecido em 2017.


Sputnik

De acordo com o ministro, o sinal era proveniente de um lugar a 280 metros de profundidade. Atualmente, drones submarinos estão se dirigindo para o local.

Imagem do desaparecido submarino argentino San Juan
© AP Photo / Vicente Robles

Além disso, Aguad lembrou que, durante a prolongada operação de busca, vários grandes objetos já tinham sido encontrados no fundo marítimo, mas sem relação com o submarino desaparecido.

Recentemente, a edição Clarin comunicou que um objeto de 55 metros não identificado foi encontrado na área de buscas do ARA San Juan.

O submersível argentino ARA San Juan, com 44 tripulantes a bordo, parou de emitir sinais de comunicação em 15 de novembro de 2017, durante uma patrulha de rotina no Atlântico Sul, perto da costa da Argentina.

Na sequência do desaparecimento, foi lançada uma grande operação internacional de busca e resgate envolvendo embarcações e equipamentos de diferentes países.

Em 30 de novembro, a Marinha da Argentina anunciou o encerramento das suas ações de resgate, mas destacou que os trabalhos para localizar o submarino iriam continuar.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas