Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Venezuela ganhará centro russo de manutenção de helicópteros

Local será inaugurado até o final do ano e país quer ainda finalizar a construção de fábrica de armas Kalashnikov.


Maria Aleksandrova | Russia Beyond

Durante o fórum internacional Army-2018, realizado no início de setembro na Rússia, o diretor-geral do monopólio de exportação de armas e equipamentos militares do país Rosoboronexport, Aleksander Mikheev, anunciou que a empresa pretende abrir um centro de manutenção de helicópteros russo na Venezuela até o final deste ano.

Resultado de imagem para kamov ka-52 alligator
Kamov Ka-52 Alligator | Reprodução

“Além disso, já estamos construindo uma fábrica de armas de fogo ligeiras que começará a funcionar em 2019. Estamos nos empenhando em acelerar o processo”, disse Mikheev à agência de notícias russa Ria Nóvosti.

O acordo para a construção da fábrica de munições e fuzis Kalashnikov AK-103 foi assinado em 2006. Mas a construção da fábrica foi interrompida diversas vezes e os trabalhos foram reiniciados apenas em 2016.

Em abril deste ano, o ministro da Defesa russo e seu par venezuelano afirmaram que a fábrica começará a produzir fuzis Kalashnikov em território venezuelano até o final de 2019.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas