Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Fuzileiros Navais do Brasil e dos EUA ratificam acordo de cooperação

Diálogo conversou com o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil (MB) Nélio de Almeida para conhecer detalhes dessa parceria
Por Marcos Ommati | Diálogo Américas | Poder Naval

Criar mais oportunidades de intercâmbio de conhecimento e treinamento combinado entre os Fuzileiros Navais do Brasil e dos Estados Unidos. Este é o objetivo principal de um plano de cinco anos ratificado em fevereiro de 2019 entre os representantes de ambas as forças, o Contra-Almirante (FN) da Marinha do Brasil Nélio de Almeida, comandante do Desenvolvimento Doutrinário do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) do Brasil e presidente nacional da Associação de Veteranos desta força, e o Contra-Almirante Michael F. Fahey III, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais Sul dos EUA (MARFORSOUTH, em inglês). O C Alte Nélio recebeu Diálogo em seu escritório na Ilha do Governador, Rio de Janeiro, para dar detalhes do acordo e conversar sobre outros temas de interesse das marinhas do Brasil e de outros países da região e dos E…

Zarif: Diplomacia evita guerra em Idlib

O ministro das Relações Exteriores do Irã disse na terça-feira que os esforços diplomáticos para a questão da cidade síria de Idlib estão dando frutos com a iminente guerra na região tendo sido evitada.


Pars Today

"Intensiva diplomacia responsável nas últimas semanas - perseguida em minhas visitas a Ancara e Damasco, seguida pela Cúpula Irã-Rússia-Turquia em Teerã e a reunião é Sochi - evitando a guerra em Idlib com um firme compromisso de combater extremistas terror ", Mohammad-Javad Zarif escreveu em sua conta no Twitter.

Zarif: Diplomacia evita guerra em Idlib
Mohammad-Javad Zarif | Reprodução

"A diplomacia funciona", enfatizou.

O chanceler iraniano se referiu a um acordo assinado em 17 de setembro pelo presidente russo, Vladimir Putin, e seu colega turco, Recep Tayyip Erdogan, sobre a suspensão de uma grande ofensiva militar contra os terroristas em Idlib e a criação de uma zona desmilitarizada em 15 de outubro.

Preocupada com a crise humanitária, a Turquia, lar de mais de três milhões de refugiados sírios, manifestou sua oposição a qualquer nova ofensiva na cidade por temer outro êxodo de refugiados.

A Rússia está se preparando para um ataque à cidade de três milhões de pessoas no noroeste da Síria como o último ponto de apoio de vários grupos terroristas e extremistas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas