Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

2 navios de guerra americanos atravessam estreito de Taiwan em meio a tensões com China

Dois navios da Marinha americana atravessaram na segunda-feira (22) o estreito de Taiwan sem incidentes, informou a agência AP, citando representantes do Pentágono.


Sputnik

Trata-se do cruzador de mísseis USS Antietam e do destróier USS Curtis Wilbur que, segundo o porta-voz do Pentágono, coronel Rob Manning, navegaram nas águas internacionais no âmbito de uma operação rotineira.


O destróier USS Curtis Wilbur, da Marinha dos EUA
Destróier USS Curtis Wilbur © REUTERS / Marinha dos EUA/ Declan Barnes

A missão faz parte dos constantes esforços dos EUA de manter o que considera como liberdade de navegação na região.

Pela última vez, o navio estadunidense atravessou o estreito em julho, disse outro porta-voz, o tenente-coronel Chris Logan.

Pequim, por sua parte, considera Taiwan como sua província e qualifica as ações dos EUA como pretexto para impor seu poderio militar na região.

Nos fins de setembro, aconteceu uma série de incidentes no mar do Sul da China e no mar da China Oriental como as operações de transferência de bombardeiros americanos B-52 ou a aproximação perigosa entre o destróier dos EUA USS Decatur e um destróier chinês da classe Luyang perto das ilhas Spratly.

As tensões têm lugar em meio de uma guerra comercial entre Washington e Pequim e as recentes sanções americanas contra o setor militar chinês.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas