Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA podem dobrar contingente militar na América do Sul, diz chefe da inteligência russa

Os EUA podem aumentar seu contingente militar na América Central e do Sul de 20 mil para 40 mil homens, disse o vice-almirante Igor Kostyukov, chefe do Departamento Central de Inteligência (GRU, sigla em russo), do Estado-Maior das Forças Armadas da Rússia.
Sputnik

"Embora na América Latina não haja ameaça militar direta para a segurança dos EUA, Washington tem uma presença militar significativa [na região]. O Comando Conjunto das Forças Armadas dos EUA implantou na América Central e do Sul um contingente de 20 mil militares. No período de ameaças este pode aumentar para 40 mil militares", explicou Kostyukov.


De acordo com ele, os EUA podem provocar uma "revolução colorida" na Nicarágua e Cuba.

"As tecnologias de 'revolução colorida' testadas na Venezuela podem vir a ser usadas em breve na Nicarágua e em Cuba", disse ele.

Segundo Kostyukov, os EUA estão tentando estabelecer o controle total sobre a América Latina.

"A Administração dos EUA considera…

A presença dos EUA na Síria é ilegal, afirma chanceler

''A presença estadunidense em território sírio é ilegal e é uma agressão'', afirmou o ministro de Relações Exteriores Walid Moallem, em entrevista à rede russa Sputnik, divulgada hoje em meios de imprensa nacionais.


Prensa Latina
Damasco - O também vice-presidente sírio enfatizou que as forças dos EUA, empregadas na região de Tanef, recrutam os extremistas do Estado Islâmico, (Daesh em árabe) e os enviam novamente ao combate para prolongar a crise e favorecer o regime de Israel.

Ministro de Relações Exteriores da Síria, Walid Moallem | Reprodução

Entre outros temas tratados, Moallem sublinhou que as relações com o Irã 'não são negociáveis' porque a presença aqui de assessores dessa nação foi estabelecida com Damasco sobre bases jurídicas e totalmente legais.

Durante a entrevista, o chanceler qualificou de positivo o pactuado na província de Idleb para a criação de uma região desmilitarizada e é um passo para restabelecer a autoridade do Estado sírio em todo o território do país.

Moallem ratificou que Síria está comprometida com as negociações de Astaná e Sochi, bem como com os esforços que realizam tanto a Rússia como o Irã para encontrar uma solução que sirva ao povo sírio no processo político.

Sobre o sistema antiaéreo S300, sublinhou que é defensivo em sua essência, e não ofensivo, e manifestou que 'se analisamos a importância de proteger o céu sírio, veremos que isto é um sinal de segurança e estabilidade, e não de guerra'.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas