Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Após 'ameaça russa', OTAN vai realizar exercícios cibernéticos, afirma Stoltenberg

As nações da OTAN planejam realizar exercícios para testar suas capacidades cibernéticas, parte integrante de qualquer operação militar moderna, disse o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, nesta quarta-feira, sem fornecer mais detalhes.


Sputnik

"O cyber [ciberespaço] é parte integrante de qualquer operação militar hoje. E, é claro, vamos exercitar o cyber — exatamente que tipo de capacidade cibernética vamos exercitar, acho que não vou entrar nisso agora", declarou Stoltenberg em uma coletiva.


OTAN declara espaço cibernético como domínio operacional de guerra
© Foto : Pixabay

Ele também lembrou que a OTAN havia "decidido integrar o que chamamos de efeitos cibernéticos nacionais — também é chamado de cyber ofensivo — em missões e operações" da aliança.

"É claro que usaremos esses efeitos cibernéticos nacionais em conformidade com o direito internacional, mas também precisamos dessas capacidades no ambiente de segurança moderno e mais exigente", destacou Stoltenberg.

Na Cúpula de Bruxelas de julho de 2018, os líderes da OTAN concordaram em criar um Centro de Operações do Ciberespaço como parte da estrutura de comando fortalecida da OTAN. Eles também concordaram em integrar as capacidades cibernéticas nacionais nas missões e operações da OTAN.

Em 17 de setembro, Stoltenberg afirmou em uma entrevista ao portal de notícias Axios que o bloco poderia invocar o artigo 5º sobre defesa coletiva no caso de um ataque cibernético realizado pela Rússia.

As declarações foram feitas depois que Londres e Amsterdã alegaram que a inteligência militar russa havia tentado realizar ataques a instituições políticas e meios de comunicação no Reino Unido e na Organização para a Proibição de Armas Químicas (OPAQ), de Haia. A Rússia refutou fortemente as alegações e acusou o Ocidente de uma espantosa mania de espionagem.

Comentários

Postagens mais visitadas