Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Marinha do Brasil prevê inaugurar estação na Antártica em 2020, oito anos após incêndio

Obra é executada por uma empresa chinesa e, segundo a Marinha, se aproxima do final. Incêndio em 2012 destruiu estação, e dois militares morreram.
Por Guilherme Mazui | G1 — Brasília

Passados sete anos desde o incêndio que destruiu a Estação Antártica Comandante Ferraz, a Marinha prevê inaugurar a nova estação em março de 2020.

Executada pela empresa chinesa Ceiec, a obra se aproxima do final, segundo a Marinha, que prevê concluir as obras civis e a instalação de máquinas e mobiliário até 31 de março, iniciando um período de testes do complexo científico até março de 2020. Após os testes, a estação poderá receber militares e pesquisadores.

"A previsão de inauguração é março de 2020, quando os pesquisadores e o Grupo-Base [de militares] deverão ocupar em definitivo as instalações da nova Estação Antártica Comandante Ferraz", informou a Marinha ao G1.

Com investimento de US$ 99,6 milhões, o complexo receberá profissionais que atuam no Programa Antártico Brasileiro (Proantar), criad…

'Atlântico pode ficar calmo, ninguém o ameaça', diz deputado sobre afirmações da OTAN

Ao falar sobre sua prontidão de "proteger o Atlântico", a OTAN tenta apresentar a Rússia como uma "potência militarista", disse o deputado Anton Morozov, do Comitê Internacional da Duma de Estado da Rússia.


Sputnik

"O Atlântico pode ficar calmo, ninguém o ameaça", assegurou o deputado em uma conversa com o RT.

Resultado de imagem para Anton Morozov duma
Deputado Anton Morozov, do Comitê Internacional da Duma de Estado da Rússia | Reprodução

O político frisou que Moscou foca seus principais esforços na eliminação dos terroristas no Oriente Médio, enquanto os EUA estão aumentando sua presença na Europa de Leste.

De acordo com ele, Washington tenta fazer passar a Rússia por uma "potência militarista" que tenta conquistar o mundo, mas, na realidade, Moscou desenvolve uma política completamente diferente.

"Tentamos construir nossas relações com todos os países exclusivamente na base da confiança e boa vizinhança", sublinhou.

Mais cedo, o comandante supremo das forças da Aliança Atlântica na Europa, general Curtis Scaparrotti, comunicou que o porta-aviões americano USS Harry S. Truman participaria das maiores manobras nos últimos anos da OTAN na Noruega para demonstrar à Rússia que os EUA e seus aliados estão prontos a defender o oceano Atlântico.

Os exercícios Trident Juncture da OTAN decorrerão de 25 de outubro a 7 de novembro na Noruega, perto das fronteiras da Rússia. Eles entrarão na lista dos maiores exercícios da OTAN das últimas décadas, com a participação de cerca de 50.000 militares de 31 países, bem como de 70 navios e 130 aeronaves.

Já a Suécia e a Finlândia, que não fazem parte da Aliança, vão abrir seu espaço aéreo para os exercícios, enquanto a parte aérea das manobras pode decorrer à distância de 500 quilômetros da fronteira russa.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas