Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Atuação das Forças Armadas contribui no combate às desigualdades na Amazônia

Com 22,5 mil alunos distribuídos por 15 câmpus no estado do Amazonas, o Instituto Federal de Educação do Amazonas (Ifam), conta com o apoio das Forças Armadas para cumprir a missão de levar conhecimento às localidades longínquas da região.


Margareth Lourenço, com informações do MCTIC | DefesaNet

Para falar do papel das três Forças no combate às desigualdades na Amazônia, o ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna, foi o palestrante na abertura da 15ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, ocorrida na tarde da segunda-feira (15), na sede do campus Manaus - Distrito Industrial.


Foto: Tereza Sobreira

Cuidar dos brasileiros e manter a unidade territorial do país fazem parte da missão das Forças Armadas brasileiras. Nessas tarefas, são empregados 347 mil mulheres e homens em todo o território nacional, destacou o palestrante.

O ministro falou sobre a atuação dos militares na região ao longo das décadas passadas até os dias atuais. Lembrou da implantação de rodovias, bem como o desenvolvimento de projetos para garantir a cidadania da população. Ele citou iniciativas como o Projeto Rondon, “que transforma universitários em cidadãos comprometidos”, reforçou.

Silva e Luna disse que a iniciativa contribui para conscientizar o estudante sobre a atuação do curso que em que está se preparando e contou que muitos voltam para se fixar na região onde atuaram no projeto.

Entre o leque de iniciativas, o dirigente da pasta detalhou algumas como os sistemas de proteção e monitoramento existentes na região. Falou também do Programa Amazônia Conectada, que integra comunidades isoladas por cabo de fibra óptica.

Ele enfatizou que a partir do conhecimento dos militares em diferentes áreas é possível atuar para contribuir na redução das desigualdades. Silva e Luna enfatizou o que considera ser a principal atuação dos militares: “despertar valores na sociedade”.

O ministro considerou que a região amazônica é, sem sobra de dúvida, a área mais rica do nosso país, mas necessita de aprofundamento de projetos que levem em consideração o desenvolvimento sustentável.

Responsável pela coordenação do evento, o professor Juan Ramos destacou que “conta com a parceria das Forças Armadas em projetos desenvolvidos pela instituição de ensino”. Com o tema “Ciência para Redução das Desigualdades”, o evento em Manaus prossegue até sexta-feira (19).

Os participantes da Semana de Ciência e Tecnologia vão debater sobre a contribuição das ciências sociais e humanas na redução das desigualdades no Brasil.

A escolha do tema baseia-se no 10° objetivo de desenvolvimento social, entre os 17 propostos pela Agenda 2030, estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU). Realizado nacionalmente desde 2004, o evento é coordenado pelo Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Em Brasília, as atividades tiveram início nesta terça-feira e contam com a colaboração de empresas e órgãos públicos, escolas, fundações de apoio, institutos de pesquisa, museus, universidades e secretarias estaduais e municipais.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas