Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Trump diz que 'certamente' entraria em guerra com o Irã, mas 'não agora'

O presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que consideraria uma ação militar contra o Irã para impedir que a República Islâmica consiga armas nucleares. A briga entre Teerã e Washington aumentou depois que os EUA acusaram o Irã de atacar dois petroleiros.
Sputnik

"Eu certamente vou considerar as armas nucleares", disse Trump à revista Time na terça-feira, quando perguntado sobre o que poderia levá-lo a declarar guerra ao Irã. "E eu manteria o outro um ponto de interrogação".

A reportagem não especificou se o presidente elaborou o cenário de lançar um conflito armado de pleno direito com a República Islâmica sobre seu programa nuclear. Quando um repórter perguntou a Trump se ele estava considerando uma ação militar contra o Irã agora, ele respondeu: "Eu não diria isso. Eu não posso dizer isso".

Seus comentários foram feitos um dia depois de o Pentágono ter enviado 1.000 soldados extras para o Oriente Médio "para fins defensivos".

Os Estados Unidos cu…

Avião espião britânico teria sido detectado perto da Síria em meio à entrega de S-300

Um avião de reconhecimento britânico realizou um voo sobre os territórios de Israel e Jordânia, perto da fronteira síria, conforme indicam vários serviços de monitoramento de voos.


Sputnik

O avião da Força Real Aérea Boeing RC-135W Rivet Joint decolou da base aérea de Souda Bay, na ilha grega de Creta, sobrevoou os territórios perto da fronteira do sul da Síria e voltou ao aeródromo.


Resultado de imagem para raf Boeing RC-135W Rivet Joint
Boeing RC-135W Rivet Joint da RAF | Reprodução

Não foi a primeira vez que a aviação britânica sobrevoou esta região ao longo da semana. Em 16 de outubro, uma aeronave do mesmo tipo junto com um avião de vigilância aérea e terrestre Sentinel R.1, seguiu uma rota parecida.

Os aviões Boeing RC-135W Rivet Joint são destinados a detectar atividades de radares com o fim de localizar os sistemas de defesa antiaérea inimigos.

As informações sobre voos de reconhecimento surgem duas semanas depois de a Rússia ter entregado à Síria sistemas de defesa antiaérea S-300.

Tal medida foi tomada após a derrubada acidental de um avião militar russo pela defesa antiaérea síria. A aeronave russa teria sido usada como escudo pela Força Aérea de Israel e provocou a morte de 15 militares que estavam a bordo.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas