Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Capacetes brancos preparam novas provocações na Síria, diz enviado russo na ONU

Membros dos Capacetes Brancos estão preparando novas provocações com substâncias tóxicas na Síria, disse o vice-embaixador russo na ONU, Vladimir Safronkov, nesta quarta-feira (24) na reunião do Conselho de Segurança da ONU.
Sputnik

Safronkov observou que os Capacetes Brancos acusariam o governo sírio pelo uso de tais substâncias.

Mais cedo nesta quarta-feira (24), o Major General Viktor Kupchishin, chefe do Centro Russo para a Reconciliação Síria, argumentou que funcionários da mídia estrangeira na província síria de Hama conduziram uma filmagem falsa da "morte" de uma família supostamente devido ao uso de armas químicas pelas tropas sírias.

Em diversas ocasiões, Moscou e Damasco apontaram que os Capacetes Brancos estavam produzindo provocações envolvendo o uso de armas químicas com o objetivo de culpar o governo da Síria e dar aos países ocidentais justificativas para a intervenção no país.
A estratégia de encenar ataques para usá-los como falsa bandeira tem sido usada repetida…

Bases militares russo-bielorrussas seriam criadas em resposta a planos dos EUA e Polônia?

A Rússia e Bielorrússia poderiam dar passos conjuntos em resposta aos planos da Polônia e dos EUA de posicionar uma base militar permanente cerca das fronteiras da União de Estados (da Rússia e Bielorrússia), declarou à Sputnik o especialista bielorrusso Pyotr Petrovsky.


Sputnik

No domingo (21), em entrevista a uma televisão bielorrussa, o embaixador da Rússia no país, Mikhail Babich, afirmou que qualquer agressão ao território bielorrusso será considerada uma agressão direta à própria Rússia.


Helicóptero Mi-8 da Força Aérea da Bielorrússia durante os preparativos para as manobras Zapad 2017
Mil Mi-8 da Força Aérea da Bielorrússia © Sputnik / Viktor Tolochko

Pyotr Petrovsky opina que a declaração de Babich pode ser considerada como uma confirmação de que a Rússia está pronta a cumprir suas obrigações no âmbito da União de Estados.

"Nós podemos falar que hoje já estão sendo elaboradas as possíveis medidas de resposta que contribuirão para manutenção da paridade político-militar das forças na região e para o impedimento do domínio de uma só força político-militar", comunicou Pyotr Petrovsky.

Segundo ele, isso "poderia ser um aumento da presença militar da Bielorrússia ao longo da fronteira polonesa-bielorrussa, bem como a criação de bases militares conjuntas russo- bielorrussas", o que não traria vantagens à iniciativa estratégica dos países da OTAN, particularmente, da Polônia e dos EUA.

O analista crê que as ações da Polônia e dos EUA "alteram completamente o equilíbrio das forças na região". Varsóvia e seu aliado de fato estão desencadeando uma corrida armamentista, militarizando o Leste da Europa e alterando o balanço de forças em direções estratégicas, antes de mais entre a Bielorrússia e a região de Kaliningrado.

Anteriormente, o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou após reunir-se com o presidente da Polônia, Andrzej Duda, que seu governo considera o estabelecimento de uma base militar permanente em território polonês e que Varsóvia está disposta a pagar "bilhões de dólares" por essa instalação.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas