Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Caças alemães retomam voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia

Os caças alemães Eurofighter que protegem o espaço aéreo dos países bálticos e que estão deslocados na base aérea de Amari, perto de Tallinn, efetuarão novamente voos diários de treinamento sobre a Estônia a baixa altitude de 15 até 19 de outubro.


Sputnik

Os treinamentos foram retomados no início de setembro, depois que todos os voos da OTAN de proteção do espaço aéreo dos países bálticos foram interrompidos em decorrência de um incidente com o lançamento acidental de um míssil ar-ar por um caça Eurofighter no dia 7 de agosto. Até agora o míssil não foi encontrado.

Caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter
Eurofighter Typhoon alemães © AP Photo / Martin Meissner

"No decurso da semana de trabalho, os caças da Força Aérea da Alemanha Eurofighter realizarão voos de treinamento no espaço aéreo da Estônia. Os voos serão efetuados a altitudes inferiores a 152 metros e principalmente fora das povoações", informa o comunicado de imprensa das Forças Armadas da Estônia.

Os voos são conduzidos com base em acordos entre países da OTAN em áreas especialmente designadas. Essas zonas para voos em baixas altitudes são atribuídas por todos os governos dos países bálticos. Segundo os militares, os voos não contradizem as leis da Estônia e são coordenados com o departamento de aviação.

Os países bálticos não possuem aviões adequados para patrulhamento aéreo. Por isso, desde abril de 2004 (depois da adesão à OTAN), a proteção do seu espaço aéreo é efetuada em regime rotativo por aeronaves dos países da Aliança, deslocadas no aeroporto de Zokniai na Lituânia, a cinco quilômetros de Siauliai, e também na base aérea de Amari. Na cúpula da OTAN em Chicago, em 2012, a missão foi prorrogada por um período indefinido.

Comentários

Postagens mais visitadas