Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA: sanções contra Venezuela servem como 'alerta para atores externos, incluindo Rússia'

Na última terça-feira (17), o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, culpou a Rússia e a Venezuela pela crise de refugiados observada no país latino-americano.
Sputnik

O conselheiro de Segurança Nacional dos EUA, John Bolton, anunciou nesta quarta-feira (17) que os EUA estão impondo uma nova rodada de sanções contra a Venezuela, acrescentando o banco central do país à lista de restrições. 

Segundo o conselheiro de Segurança Nacional, as sanções recém-aplicadas deveriam se tornar um alerta para "todos os atores externos, inclusive a Rússia".

Desde o início da crise política na Venezuela no início deste ano, os EUA impuseram várias rodadas de sanções, visando os setores petrolífero e bancário do país, bem como indivíduos ligados às autoridades do país.

A Venezuela está sofrendo grave crise política desde janeiro. Junto com outros países ocidentais, os EUA apoiam Juan Guaidó, que se proclamou presidente interino da Venezuela. Ao mesmo tempo, Rússia, China e Turquia, entre outros…

Com números impressionantes, ministro russo revela como Daesh foi arrasado na Síria

As células do grupo terrorista Daesh foram totalmente desmanteladas na Síria com o apoio da Rússia durante três anos de participação de Moscou na operação, disse o ministro da Defesa russo, Sergei Shoigu, neste sábado.


Sputnik

"Mais de 87.500 militantes foram mortos, 1.411 assentamentos e mais de 95% do território sírio foram libertados no decorrer da operação", afirmou Shoigu na quinta reunião dos Ministros de Defesa da ASEAN e da Dialogue Partners (ADMM-Plus) em Singapura.


Ministro da Defesa russo Sergei Shoigu
Sergei Shoigu © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

"Os principais assentamentos foram liberados […] As Forças Armadas Sírias controlam atualmente o território onde vivem mais de 90% da população do país", acrescentou Shoigu.

O ministro russo ainda ressaltou que as Forças Aeroespaciais russas realizaram mais de 40.000 missões, incluindo mais de 21.000 surtidas durante a noite, durante a operação na Síria.

"No curso das ações militares, mais de 122.000 alvos terroristas foram eliminados. A parte principal dos militantes foi morta", complementou. "Na Síria, recebemos a vasta experiência de luta que estamos prontos para compartilhar".

A vida pacífica estava sendo restaurada na Síria, acrescentou o ministro da Defesa, observando que mais de 2.500 assentamentos em todo o país se juntaram ao processo de reconciliação devido ao trabalho do Centro de Reconciliação Russa na Síria.

O foco principal das autoridades do país do Oriente Médio foi resolver problemas humanitários e devolver os refugiados às suas casas, observou o ministro.

Perigo na região Ásia-Pacífico

Por outro lado, o retorno de militantes à região Ásia-Pacífico depois de lutar na Síria e no Iraque aumenta a ameaça terrorista no Sudeste Asiático, ponderou Shoigu.

"O retorno de terroristas, que receberam experiência de combate na Síria e no Iraque, para a região da Ásia-Pacífico continua sendo um problema agudo. Eles representam a força pronta para se unir às células terroristas locais. O terrorismo se torna uma ameaça cada vez mais grave para os países da Ásia-Pacífico. Isso é causado pelas atividades do número significativo de organizações extremistas no Sudeste Asiático", alertou.

Os grupos extremistas que operam na região usaram a força para sua luta e procuraram estabelecer fortes laços com grupos terroristas internacionais, acrescentou Shoigu.

Os fluxos de dinheiro para os países do Pacífico Asiático para apoiar as células terroristas e realizar ataques terroristas foram cada vez mais detectados recentemente, acrescentou Shoigu.

O ministro da Defesa pediu danos irreparáveis às capacidades dos terroristas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas