Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Comando Conjunto apura denúncia de agressão de militares contra homens presos em operação no Rio de Janeiro

Oito homens teriam sofrido agressões após serem detidos durante operação no Complexo da Penha. Eles teriam sido levados para uma “sala vermelha” e sofrido golpes com pedaços de madeira.


Por G1 Rio

O Comando Conjunto da Forças Armadas instaurou nesta segunda-feira (29) um Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar a denúncia de que militares do Exército teriam torturado presos. De acordo com reportagem do jornal Extra na última sexta-feira (26), oito homens sofreram as agressões após serem detidos durante uma operação.

Resultado de imagem para Comando Conjunto da Forças Armadas

O objetivo do inquérito é apurar se houve “supostos excessos e abusos contra perturbadores da ordem pública”. Os oito suspeitos foram detidos com armas e drogas no Complexo da Penha, Zona Norte do Rio.

Alguns deles teriam sido levados para uma “sala vermelha” e teriam sofrido golpes com pedaços de madeira e levado chicotadas com fios elétricos. Os episódios teriam acontecido na 1ª Divisão de Exército, na Vila Militar.

Os sete detidos foram levados para cadeias públicas e um deles foi apresentado na Vara da Infância e Juventude por ser menor de idade. Ainda de acordo com o Comando Conjunto, o prazo para a conclusão do IPM é de 40 dias, podendo ser prorrogado por mais 20 dias.


Comentários

Postagens mais visitadas