Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Defesa do Brasil tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai

Despesas com ativos e inativos crescem R$ 7,1 bi em 2019, reflexo de aumento salarial
Por Igor Gielow e Gustavo Patu | Folha de S.Paulo

A previsão de gasto militar para o primeiro ano de governo do capitão reformado do Exército Jair Bolsonaro (PSL) traz o maior aumento de despesa com pessoal em dez anos e uma redução expressiva do investimento em programas de reequipamento das Forças Armadas.
Não fosse uma criatividade contábil dos militares, que conseguiram recursos com a capitalização de uma estatal para comprar novos navios, a despesa de investimento seria a menor desde 2009.

A Folha analisou a série histórica com a ferramenta de acompanhamento orçamentário Siga Brasil, do Senado. Para este ano, o Ministério da Defesa, ainda na gestão Michel Temer (MDB), planejou gastar R$ 104,2 bilhões, o quarto maior volume da Esplanada.

Desse montante, R$ 81,1 bilhões irão para pessoal, R$ 13,3 bilhões, para gastos correntes (custeio) e R$ 9,8 bilhões, para investimentos. Os valores não incluem o con…

Consórcios para construção de corvetas estão bem representados, avalia Sinaval

O Sindicato Nacional da Indústria de Construção e Reparação Naval e Offshore (Sinaval) avalia que os quatro consórcios escolhidos pela Marinha numa lista final para construção de quatro corvetas classe Tamandaré possuem histórico de projetos qualidade e entregas dentro do prazo. 


Danilo Oliveira | Portos e Navios

Na análise das propostas, iniciada em junho, havia nove propostas na disputa. O vencedor deve ser conhecido até o final do ano, segundo previsão da Marinha.

Corveta Classe Tamandaré

“Os quatro consórcios estão bem representados em termos de construção naval, pois esses estaleiros já mostraram que são competentes e entregam no prazo e com qualidade”, disse o vice-presidente do Sinaval, Sérgio Bacci. A 'short list' é formada pelos consórcios: “Águas Azuis”, “Damen Saab Tamandaré”, “FLV” e “Villegagnon”. Com a decisão, a construção desses navios está entre os estaleiros: Enseada (BA), Oceana (SC), Vard Promar (PE) e Wilson Sons (SP). Os investimentos previstos para construção das quatro unidades são da ordem de US$ 1,6 bilhão, o equivalente a R$ 6 bilhões considerando o câmbio na faixa de R$ 3,70.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas