Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

Deputada ucraniana apela para explodir armazéns militares da Rússia

A deputada da Suprema Rada ucraniana, membro do órgão consultivo do Ministério do Interior e conselheira do ministro do Interior, Tatiana Chernovol, apelou para que sejam explodidos armazéns militares da Rússia, segundo ela declarou em entrevista ao canal ucraniano Pryamoi.


Sputnik

"Temos um problema — nos últimos tempos têm explodido nossos armazéns de munições. Sabem, tais armazéns existem no território ocupado, que disparam contra nós, também há desses na fronteira com a Ucrânia, do lado russo, que disparam contra nós", anunciou Chernovol.


Resultado de imagem para Tatiana Chernovol rada
Deputada ucraniana Tatiana Chernovol | Reprodução

Entretanto, a conselheira lamentou em entrevista ao canal ucraniano Pryamoi de que "não houve resposta nenhuma às ações de sabotagem contra armazéns ucranianos".

Nos últimos três anos, na Ucrânia ocorreram vários casos de grandes incêndios em depósitos militares.

A última explosão ocorreu em um depósito militar na região de Chernigov no dia 9 de outubro. Este paiol ocupa uma área de cerca de 682,6 hectares, da qual 402 hectares correspondem à chamada área técnica. Segundo informações oficiais, apenas 10% da área técnica do arsenal foi atingida, informou a RIA FAN.

Em março de 2017, na região de Carcóvia se incendiou um outro arsenal, causando um morto, cinco feridos e a destruição de quase 70% do armamento armazenado. No outono, em resultado de mais uma explosão de um paiol, foram evacuadas 30 mil pessoas. Em maio de 2018, num depósito militar se incendiou a grama seca, provocando o estado de emergência.

Kiev acusou Moscou por mais de uma vez de interferir nos seus assuntos internos. A Rússia nega as acusações, considerando-as de inadmissíveis. Moscou declarou repetidas vezes que não é uma parte do conflito interno ucraniano e que está interessada em que a Ucrânia supere a crise política e econômica.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas