Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Dinamarca acusa Inteligência iraniana de planejar atentado em seu território

A polícia da Dinamarca acusou nesta terça-feira o Serviço de Inteligência do Irã de planejar um atentado em território dinamarquês contra membros da oposição iraniana e informou que prendeu uma pessoa envolvida no caso.


EFE

Copenhage - O detido é um cidadão norueguês de origem iraniana que foi capturado no dia 21 de outubro e que está em prisão preventiva, suspeito de iniciar "operações de inteligência iranianas" na Dinamarca e de participar dos preparativos de um ato terrorista.


Agentes dinamarquesas em foto de maio de 2018. EPA/MARTIN SYLVEST DENMARK
Agentes dinamarquesas em foto de maio de 2018. EPA/MARTIN SYLVEST DENMARK

"O caso trata da atividade da inteligência iraniana, que acreditamos que planejava um atentado na Dinamarca", disse o chefe do serviço secreto dinamarquês (PET), Finn Borch Andersen.

O alvo do atentado era um grupo de iranianos que mora na cidade de Ringsted e pertence ao Movimento de Luta Árabe pela Libertação de Ahvaz (ASMLA). O líder desse grupo separatista na Dinamarca recebeu proteção policial quando o PET descobriu uma ameaça concreta contra ele.

Em setembro, a medida foi ampliada para outras duas pessoas da unidade dinamarquesa do ASMLA, conforme foi divulgado hoje.

O PET vinculou o caso à uma grande operação policial realizada em 28 de setembro, principalmente em Copenhague, um episódio que provocou um corte temporário das comunicações e que não tinha sido totalmente esclarecido até o momento.

A polícia afirmou na época que tinha acontecido uma confusão ao vincular os ocupantes de um carro com a ameaça dirigida a um grupo de pessoas, que a imprensa dinamarquesa relacionou à ASMLA.

O detido nega as acusações. Por sua vez, a polícia dinamarquesa, que contou com a ajuda dos Serviços de Inteligência da Suécia e da Noruega, considera que ainda existe o risco da realização de um atentado.

Comentários

Postagens mais visitadas