Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Empresa israelense indica onde seriam instalados primeiros S-300 na Síria

Recentemente, a Rússia completou a entrega dos sistemas de defesa antiaérea S-300 para a Síria. Trata-se do reforço da defesa antiaérea do país árabe e aumento da proteção dos militares russos que operam na região.


Sputnik

A empresa israelense de imagens por satélite iSi revelou o que alega ser o primeiro local de instalação dos sistemas russos na Síria. A empresa identificou a localização como uma antiga base aérea situada no noroeste da cidade de Masyaf, na província de Hama.



As imagens de satélite captadas em 22 de outubro mostram veículos de grande porte debaixo de uma rede de camuflagem, que a iSi diz serem S-300 posicionados na base mencionada, enquanto outra imagem, datada de 24 de outubro, mostra quatro alegados veículos de transporte dos lançadores dos S-300, perto do recém-construído posto de implantação.

O suposto local está situado cerca de 55 km da base aérea russa de Hmeymim e a 45 km do posto de abastecimento e manutenção naval em Tartus. Enquanto isso, a empresa comunicou que a implantação ainda não estava completada.

Os militares sírios não comentaram as informações.

A decisão sobre a entrega dos armamentos russos foi tomada depois de um incidente em 17 de setembro, quando um míssil S-200 do sistema de defesa aérea sírio abateu por engano um avião russo Il-20, que estava voltando para a base de Hmeymim. A tragédia tirou a vida de 15 militares russos.

O Ministério da Defesa russo acusou do incidente a Força Aérea de Israel, reforçando que o caça israelenses utilizou o avião russo como escudo contra os sistemas de defesa sírios.

Comentários

Postagens mais visitadas