Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

General brasileiro em forças dos EUA atrapalha laços com Moscou e Pequim, diz especialista

A decisão do Brasil de enviar um oficial para integrar as Forças Armadas dos Estados Unidos deve atrapalhar as relações do país com importantes aliados, como China e Rússia. A avaliação é do especialista em Relações Internacionais Paulo Velasco, que conversou nesta segunda-feira com a Sputnik sobre esse polêmico assunto.
Sputnik

Na última semana, se tornou pública no Brasil a notícia de que o país indicará, até o final do ano, um general para assumir um posto no Comando Sul (SouthCom) dos EUA, que cobre América Central, Caribe e América do Sul, provocando controvérsias.


De acordo com o comandante responsável, o almirante Craig Faller, os interesses norte-americanos na região seriam ameaçados por Rússia, China, Irã, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países com os quais o Brasil poderá ter relações prejudicadas por conta dessa situação, conforme acredita Velasco, professor adjunto de Política Internacional do Departamento de Relações Internacionais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (U…

Entenda motivo pelo qual iranianos não poderiam operar sistemas S-300 na Síria

Os sistemas de defesa antiaérea S-300PM-2 entregues pela Rússia à Síria possuem diferentes e melhores qualidades do que a versão básica, sendo militares russos os únicos capazes de operar os sistemas S-300PM-2 e contradizendo rumores de que especialistas iranianos vão operar os complexos na Síria.


Sputnik

A versão modificada dos S-300 possui radares melhorados, postos de controle móveis e dispositivos guiados.


Sistema de misiles antiaéreo S-300
S-300 Favorit © Sputnik / Uliana Soloviyova

Segundo fontes do Ministério da Defesa da Rússia, os rumores de que soldados iranianos vão operar os sistemas não corresponde à realidade e a informação não foi confirmada nem mesmo por Teerã, conforme o jornal Izvestia.

O sistema modificado S-300-PMU-2 fornecido pela Rússia ao Irã, é um equipamento destinado à exportação e foi construído de uma maneira mais simples com relação ao S-300PM-2, originalmente desenhado para uso interno. O que significa que o sistema entregue à Síria requer uma melhor capacitação, além disso, os S-300-PMU-2 não foram projetados para atuar com o equipamento russo de defesa antiaérea.

A mídia israelense, DEBKAfile, havia especulado sobre a possível operação do equipamento russo pelos militares iranianos, porém, a fonte que fez tal referência é familiarizada com a inteligência dos EUA e de Israel, assegurando ainda que Moscou havia ocultado suas intenções e que Washington e Tel-Aviv estariam supostamente preocupados com a situação.

Entretanto, EUA e Israel não se preocupariam de colocar em risco a vida dos soldados russos em um eventual ataque, além de que, se os iranianos estivessem agindo, isso demonstraria um sinal de fortalecimento do país na Síria, prejudicando os interesses de seus principais inimigos.

Comentários

Postagens mais visitadas