Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Entenda motivo pelo qual iranianos não poderiam operar sistemas S-300 na Síria

Os sistemas de defesa antiaérea S-300PM-2 entregues pela Rússia à Síria possuem diferentes e melhores qualidades do que a versão básica, sendo militares russos os únicos capazes de operar os sistemas S-300PM-2 e contradizendo rumores de que especialistas iranianos vão operar os complexos na Síria.


Sputnik

A versão modificada dos S-300 possui radares melhorados, postos de controle móveis e dispositivos guiados.


Sistema de misiles antiaéreo S-300
S-300 Favorit © Sputnik / Uliana Soloviyova

Segundo fontes do Ministério da Defesa da Rússia, os rumores de que soldados iranianos vão operar os sistemas não corresponde à realidade e a informação não foi confirmada nem mesmo por Teerã, conforme o jornal Izvestia.

O sistema modificado S-300-PMU-2 fornecido pela Rússia ao Irã, é um equipamento destinado à exportação e foi construído de uma maneira mais simples com relação ao S-300PM-2, originalmente desenhado para uso interno. O que significa que o sistema entregue à Síria requer uma melhor capacitação, além disso, os S-300-PMU-2 não foram projetados para atuar com o equipamento russo de defesa antiaérea.

A mídia israelense, DEBKAfile, havia especulado sobre a possível operação do equipamento russo pelos militares iranianos, porém, a fonte que fez tal referência é familiarizada com a inteligência dos EUA e de Israel, assegurando ainda que Moscou havia ocultado suas intenções e que Washington e Tel-Aviv estariam supostamente preocupados com a situação.

Entretanto, EUA e Israel não se preocupariam de colocar em risco a vida dos soldados russos em um eventual ataque, além de que, se os iranianos estivessem agindo, isso demonstraria um sinal de fortalecimento do país na Síria, prejudicando os interesses de seus principais inimigos.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas