Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Especialista comenta alegado envolvimento de militares iranianos com S-300 na Síria

A afirmação de que os sistemas S-300 fornecidos à Síria irão alegadamente ser operados por especialistas militares iranianos é um mero elemento da guerra de informação, anunciou à Sputnik o diretor do Centro de Análise do Comércio Mundial de Armas da Rússia, Igor Korotchenko.


Sputnik

O portal israelense DEBKAfile, citando uma fonte anônima, comunicou que os sistemas de defesa antiaérea S-300 fornecidos à Síria irão ser operados por especialistas iranianos.

Sistemas russos S-300 durante os treinamentos bilaterais de grande escala da defesa antiaérea e da aviação da Região Militar Ocidental
S-300 Favorit © Sputnik / Ministério da Defesa da Rússia

"Esta notícia não passa de desinformação, um elemento da guerra informacional contra a Rússia. É uma tentativa de denegrir a Rússia. Os sistemas S-300 fornecidos à Síria serão dotados de guarnições sírias, que, depois de acabarem a preparação, começarão a operar os sistemas de combate", disse Korotchenko.

Para ele, se os EUA e Israel quiserem se aproveitar dessa falsificação para lançar um ataque de grande escala contra as posições dos S-300, isso pode provocar uma crise político-militar muito grave, análoga à crise dos mísseis de Cuba, com todas as consequências para os autores da provocação.

Os sistemas S-300 foram a resposta da Rússia à tragédia do avião russo Il-20 derrubado na Síria, pela qual Moscou responsabiliza Tel Aviv visto que, no momento do abate, aeronaves israelenses atacavam posições sírias. No início de outubro, o ministro da Defesa russo comunicou que quatros sistemas S-300 já tinham sido entregues à Síria e que os militares locais iriam ser treinados durante três meses para os operarem.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas