Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Prestes a 'ganhar' território do tamanho da Arábia Saudita, Brasil carece de recursos para defesa

A ONU deve ratificar no próximo mês, o pleito brasileiro em estender sua faixa de águas jurisdicionais em pelo menos 2,1 milhões de km², uma área equivalente à extensão da Arábia Saudita. Para especialista ouvido pela Sputnik Brasil, movimento precisa vir acompanhado de modernização da Marinha.
Sputnik

Como a Sputnik Brasil mostrou em maio, a demanda já dura há pelo menos 30 anos e tem relação com medições técnicas sobre o ponto onde termina o Brasil continental e até onde é lícito explorar as águas do entorno. O mar territorial brasileiro têm atualmente cerca de 12 milhas náuticas (22 quilômetros) na faixa de água e uma zona econômica exclusiva de 200 milhas náuticas (370 quilômetros). Na parte de solo e sub-solo, área na qual o Brasil pleiteia a extensão, há um limite de mais 200 milhas regulamentadas.

Responsável pela proteção da área oceânica, a Marinha brasileira vem desenvolvendo pesquisas na região desde 2004. Os militares já identificaram potencial possibilidade de exploração de …

Estatal Rostec chama de 'roubo' ideia dos EUA de copiar armas russas

A corporação estatal russa Rostec chamou a ideia de produzir metralhadoras russas de grande calibre NSV Utes nos EUA sem permissão da estatal Rosoboronexport de "cópia ilegal de tecnologias russas" e de "roubo".


Sputnik

A revista The National Interest comunicou recentemente que o Comando de Operações Especiais do Exército dos EUA pretende financiar a produção de cópias de armas russas. O financiamento é destinado a empresas que possam "descobrir e melhorar a tecnologia da metralhadora Kalashnikov, da metralhadora modernizada e de grande calibre NSV Utes e fazer suas cópias".

Consórcio russo Kalashnikov demonstra um dos seus últimos avanços – o fuzil de assalto AK-308 com mira dióptrica e coronha retrátil regulável
Kalashnikov AK-308 © Sputnik / Ramil Sitdikov

"Tais ideias, se realmente existirem, confirmam mais uma vez as vantagens das armas russas, mesmo daquelas que não são novas, como vemos. Porém, a própria ideia suscita algumas questões. Se alguém quiser realizar esse trabalho legalmente, segundo as regras, que venha à Rosoboronexport e discuta a questão. Caso contrário, trata-se de cópia ilegal de tecnologias russas, ou seja, de roubo", disse o representante da corporação.

O consórcio russo Kalashnikov, por sua vez, declarou não conhecer concretamente tais planos dos EUA, mas acrescentou não estar surpreendido, sublinhando que o fato prova a segurança das armas russas.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas