Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Putin ameaça retaliar se EUA instalarem mísseis na Europa

Em seu discurso sobre o estado da nação, presidente russo faz ataques a Washington e promete apontar seu arsenal para os Estados Unidos e para o continente europeu se mísseis americanos atravessarem o Atlântico.
Deutsch Welle

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, alertou nesta quarta-feira (20/02) que seu país responderá a um possível envio de mísseis americanos à Europa, fazendo com que não apenas os países que receberem esses armamentos se tornem alvos, mas também os Estados Unidos.


Em seu discurso anual sobre o estado da nação em Moscou, Putin elevou o tom ao comentar uma nova e potencial corrida armamentista. Ele afirmou que a reação russa a um possível envio seria rigorosa e que as autoridades em Washington – algumas das quais estariam obcecadas com o "excepcionalismo" americano – deveriam calcular os riscos antes de tomar qualquer medida.

"É o direito deles de pensar da forma que quiserem. Mas eles sabem fazer cálculos? Tenho certeza que sabem. Deixemos que eles cal…

EUA começam exercícios militares 'globais' de dissuasão nuclear

O Comando Estratégico dos EUA (USSTRATCOM) anunciou o início dos exercícios militares anuais das Forças Nucleares Estratégicas – o Global Thunder 2019 (Trovão Global 2019).


Sputnik

De acordo com uma declaração feita pelo USSTRATCOM na segunda-feira (29), as manobras estão sendo realizadas para "refrear, localizar e, se necessário, evitar ataques estratégicos contra os EUA e seus aliados". Os exercícios visam determinar a prontidão das unidades militares envolvidas na dissuasão nuclear.


Soldado das Forças Armadas dos EUA
© flickr.com/ U.S. Army / Venessa Hernandez

"A tríade nuclear é a base da dissuasão estratégica. Nossas tropas devem estar preparadas para executar ordens em qualquer lugar do mundo quando for necessário", afirmou o general John Hyten.

Hyten observou que as manobras Global Thunder são multinacionais e pretendem unir os EUA, seus aliados e parceiros políticos e militares, incluindo a Austrália, Reino Unido, Dinamarca, Canadá e Coreia do Sul.

Estes exercícios são os primeiros desde que os EUA anunciaram que sairiam do Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF) — tratado firmado com a Rússia na época da Guerra Fria — alegando que Moscou havia violado o pacto. Na semana passada, a Rússia tentou preservar o tratado em um projeto de resolução que apresentou no Primeiro Comitê da Assembleia Geral da ONU, argumentando que o pacto é necessário para a segurança internacional. No entanto, a maioria dos países votou contra a proposta.

Comentários

Postagens mais visitadas