Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

EUA não têm provas sobre violação russa de acordo nuclear, diz senador russo

Os Estados Unidos não têm provas sobre as alegadas de violações russas de acordo nuclear sobre armas de alcance intermediário, disse à Sputnik o senador russo Frants Klintsevich.


Sputnik

Neste sábado (20), o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que o país deixará o acordo nuclear com Rússia e acusou os russos de violarem o tratado.


US Republican presidential candidate Donald Trump holds his bible while speaking at the Iowa Faith and Freedom Coalition Forum in Des Moines, Iowa, September 19, 2015
Donald Trump © REUTERS / Brian C. Frank

"É óbvio que os Estados Unidos não têm provas que comprovem as violações da Rússia das cláusulas do tratado ", disse Klintsevich.

O senador ainda apontou que a decisão de Trump de deixar o acordo não está alinhada com os interesses de seus aliados europeus.

"[Os Estados Unidos] querem nos arrastar, como a União Soviética, para uma corrida armamentista. Não terá sucesso. Não tenho dúvidas de que nosso país conseguirá garantir sua segurança sob quaisquer circunstâncias", acrescentou Klintsevich.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas