Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Empresa chinesa faz peças para F-35? Revelação surge em meio a polêmicas envolvendo Huawei

Em meio à briga contínua entre os EUA e a gigante tecnológica chinesa Huawei, classificada como ameaça à segurança por Washington, verificou-se que uma subsidiária com sede no Reino Unido de uma companhia chinesa fabrica peças para os jatos americanos F-35.
Sputnik

Trata-se da companhia chinesa Exception PCB, com sede no condado britânico de Gloucestershire, que fabrica placas de circuitos que controlam os motores, iluminação, combustível e sistemas de navegação dos caças F-35 – o sistema de armas mais caro já feito.

De acordo com a emissora britânica Sky, citando materiais divulgados pelo Ministério da Defesa do Reino Unido, a empresa que fabrica componentes para os caças da Lockheed Martin foi comprada em 2013 pela companhia chinesa Shenzhen Fastprint, que inclusive já participou da fabricação de caças Eurofighter Typhoon e de helicópteros de ataque Apache.

"A Exception PCB, com sede em Gloucestershire, fabrica placas de circuito impresso que controlam muitas das principais capacid…

EUA não têm provas sobre violação russa de acordo nuclear, diz senador russo

Os Estados Unidos não têm provas sobre as alegadas de violações russas de acordo nuclear sobre armas de alcance intermediário, disse à Sputnik o senador russo Frants Klintsevich.


Sputnik

Neste sábado (20), o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que o país deixará o acordo nuclear com Rússia e acusou os russos de violarem o tratado.


US Republican presidential candidate Donald Trump holds his bible while speaking at the Iowa Faith and Freedom Coalition Forum in Des Moines, Iowa, September 19, 2015
Donald Trump © REUTERS / Brian C. Frank

"É óbvio que os Estados Unidos não têm provas que comprovem as violações da Rússia das cláusulas do tratado ", disse Klintsevich.

O senador ainda apontou que a decisão de Trump de deixar o acordo não está alinhada com os interesses de seus aliados europeus.

"[Os Estados Unidos] querem nos arrastar, como a União Soviética, para uma corrida armamentista. Não terá sucesso. Não tenho dúvidas de que nosso país conseguirá garantir sua segurança sob quaisquer circunstâncias", acrescentou Klintsevich.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas