Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

EUA preveem enviar mais de 5 mil militares para fronteira sul, diz imprensa

O governo dos Estados Unidos deve enviar até 5 mil militares adicionais à fronteira com o México para responder à chegada da caravana de milhares de imigrantes que partiu de Honduras, informaram nesta segunda-feira veículos de imprensa americanos.


EFE

Washington - De acordo com fontes oficiais citadas pelos jornais americanos, o Departamento de Defesa permitirá o envio dessas tropas para fazer frente à caravana de 7 mil imigrantes, a maioria deles procedentes de Honduras, que se encontra no México e avança para o norte com a intenção de chegar ao território americano.


EFE/María de la Luz Ascencio
EFE/María de la Luz Ascencio

A informação revelada hoje pela imprensa chega depois que o Departamento de Defesa anunciou na última sexta-feira que autorizava o Departamento de Segurança Nacional (DHS, na sigla em inglês) a ampliar a "assistência" militar na região, sem oferecer mais detalhes.

O presidente dos EUA, Donald Trump, advertiu hoje no Twitter que as forças armadas aguardam a chegada da caravana.

"Isso é uma invasão de nosso país e nossas Forças Armadas estão esperando!", tuitou Trump, que insistiu que "muitos criminosos e algumas pessoas muito más" estão entre os imigrantes.

"Por favor, deem meia-volta, não serão admitidos nos EUA a menos que sigam o processo legal", ressaltou o presidente.

A imprensa tinha indicado anteriormente que o governo preparava uma autorização para enviar entre 800 e mil militares ativos à fronteira sul.

Trump ordenou em abril o envio da Guarda Nacional - uma força militar de reserva - à fronteira em resposta às notícias sobre outra caravana de imigrantes, que começou seu percurso no sul do México.

Atualmente, de acordo com os últimos números divulgados pelo Departamento de Defesa no fim de agosto, 2.200 soldados permanecem na região, principalmente no estado do Texas, para dar apoio à segurança na fronteira.

Comentários

Postagens mais visitadas