Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

EUA e Rússia revivem a Guerra Fria no Oriente Médio com duas cúpulas

Reuniões paralelas, na Polônia e na Rússia, representaram a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito entre Israel e a Palestina
Juan Carlos Sanz e María R. Sahuquillo | El País
Sochi / Jerusalém - Em 1991, a Conferência de Madri estabeleceu um modelo para o diálogo multilateral no Oriente Médio após o fim da Guerra Fria, que havia colocado Washington contra Moscou na disputa pela hegemonia em uma região estratégica. Transcorridos mais de 27 anos, dois conclaves paralelos representaram nesta quinta-feira em Varsóvia (Polônia) e Sochi (Rússia) a revitalização do rompimento entre as potências sobre o Irã, a guerra na Síria e o conflito israelo-palestino. Os Estados Unidos e a Rússia, copresidentes em Madri em 1991, já não atuam mais como mediadores para aliviar as tensões e, mais uma vez, assumem um lado entre as partes conflitantes.

No fórum da capital polonesa, a diplomacia dos EUA chegou a um impasse ao reunir mais de 60 países em uma reu…

Exército Brasileiro aumenta poder de fogo com 96 novos blindados

O Exército Brasileiro trabalha na adaptação e modernização de 96 blindados que vão reforçar a artilharia e o combate terrestre das Forças Armadas. A Defesa ainda espera outras 32 viaturas no início do próximo ano.


Sputnik

Os veículos desembarcaram no Porto de Paranaguá, no Paraná, após 16 dias de viagem. O lote, doado pelo Exército dos Estados Unidos, foi encaminhado ao Parque Regional de Manutenção da 5.a Região Militar.


Blindados chegam no Rio de Janeiro
Divulgação

Falando à Sputnik Brasil, o tenente-coronel Nogueira, do Comando Militar do Sul, afirmou que o equipamento impulsionará a artilharia da Força.

De acordo com o Exército Brasileiro, os blindados passarão por um processo de modernização e adaptação. Segundo o especialista em questões de Defesa, Pedro Paulo Rezende, em entrevista à Sputnik Brasil, o processo servirá para dar mais poder de fogo à tropa.

"O canhão ganha mais alcance e passa a atingir alvos de até 30 quilômetros. O sistema de tiro é completamente modificado para o que chamamos de repotencialização. Trocam-se o cano do canhão e o sistema de tiros, então você tem um sistema que adquire mais rápido o alvo e permite maior precisão. […] Além de tudo, se modifica o sistema motriz do canhão autopropulsado. No final você tem praticamente um carro novo", ressalta o jornalista.

Ao todo, o Exército recebeu 40 viaturas remuniciadoras M992 e 56 obuseiros autopropulsados M109 A5. O M109 A5, além de maior precisão no tiro e de melhorias no sistema de posicionamento e navegação, ainda será equipado com medidor de velocidade inicial, sistema eletrônico de pontaria, GPS, travamento automático do tubo, navegação inercial e computador de tiro.

Segundo o tenente-coronel Nogueira, os blindados, que pesam cerca de 30 toneladas cada um, serão usados no apoio às tropas de Infantaria e Cavalaria.

"As viaturas blindadas recebidas serão usadas nos grupos de artilharia orgânicos de brigadas blindadas e de artilharia divisionária, organizações militares que têm por missão precípua prover o apoio de fogo à manobra das tropas blindadas de Infantaria e cavalaria", conta o militar.

Pedro Paulo Rezende explica que, em confronto, esse tipo de equipamento é utilizado na retaguarda, para dar apoio às tropas.

"Os veículos são utilizados em apoios de fogo de tropa. São equipamentos que ficam na retaguarda. Eles não vão para a linha de frente, e servem para abrir caminho para as outras forças e para destruir os inimigos na retaguarda. Eles têm um alcance relativamente grande depois de modernizados e são bastante efetivos na função deles", explica o especialista.

Rezende diz ainda que, em comparação com países vizinhos, o Brasil ainda está atrás em algumas áreas.

"Na questão de artilharia, nós estamos à frente de outros países da América Latina. Inclusive a Venezuela, que tem equipamento com alcance de até 180 quilômetros. Em relação a outras áreas, como carros de combate e blindados que se utilizam diretamente em confronto, nós estamos atrás. Chile e Venezuela têm carros de combate mais modernos do que nós. O Peru está planejando substituir a frota de carros de combate deles por carros de combate T-90 russos", avalia Rezende.

Além desses veículos, o Exército Brasileiro deve receber um novo grupo de viaturas no início de 2019.

"Há previsão de chegada de um novo lote, no início do ano que vem: 32 viaturas M109 A5 Plus, que já estão em manutenção nos EUA", explicou o major Souza e Silva, da Seção de Transporte Internacional da Comissão do Exército Brasileiro em Washington, em nota divulgada para a imprensa.

O M109 A5 tem maior alcance e reduz o tempo entre o recebimento da missão de tiro e o disparo, em mais de 80%, quando comparado aos modelos anteriores.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas