Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Gorbachov chama EUA para retomar diálogo com a Rússia sobre armas nucleares

O último presidente da União Soviética, Mikhail Gorbachov, pediu que os Estados Unidos retomem um "diálogo sério" com a Rússia sobre o problema das armas nucleares e alertou contra as "perigosas tendências destrutivas" na política mundial, em artigo publicado nesta quarta-feira no jornal "Vedomosti".
EFE

Moscou - Após constatar uma ruptura da comunicação entre Moscou e Washington, o ex-líder soviético se dirigiu em particular aos congressistas americanos para pedir que deixem de lado suas diferenças partidárias para facilitar um "diálogo sério" entre ambos os países.


"Estou convencido de que a Rússia está preparada (para o diálogo)", ressaltou Gorbachov, que manifestou preocupação com a suspensão, primeiro pelos EUA e depois pela Rússia, do Tratado de Eliminação dos Mísseis de Médio e Curto Alcance (INF), que ele assinou em 1987 com o então presidente americano, Ronald Reagan.

Gorbachov apontou que por trás da decisão de Washington de deix…

Governo saudita: Jamal foi asfixiado e teve corpo enrolado em tapete

Nova tese sobre a morte de Khashoggi é dada por um membro do governo saudita que pede anonimato


Pars Today

O jornalista saudita Jamal Khashoggi teria sido morto por estrangulamento e o seu corpo enrolado em um tapete, para poder ser retirado da embaixada saudita, em Istambul, na Turquia. O anúncio foi feito por um membro do governo saudita, conta o Daily Mail.


Governo saudita: Jamal foi asfixiado e teve corpo enrolado em tapete

Esta mesma fonte acrescenta que um dos 15 homens que foram escolhidos para confrontar o jornalista, no dia 2 de outubro, vestiu as roupas de Khashoggi, após a sua morte, e saiu do edifício para que as autoridades acreditassem que se tratava dele.

Estas novas alegações, feitas sob anonimato, contradizem as explicações anteriores fornecidas pela Arábia Saudita e que criaram algum ceticismo a nível internacional.

Segundo esta nova versão, Jamal Khashoggi teria sido ameaçado de que seria drogado e raptado. O jornalista teria mostrado resistência e acabou por ser asfixiado até a morte.

Khashoggi era colunista no Washington Post e um grande critico do príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman. O jornalista desapareceu no início de outubro depois de ter ido ao consulado obter documentos para se casar.

A Arábia Saudita já havia reconhecido que o jornalista foi morto no seu consulado em Istambul, na Turquia, mas alegava ter-se tratado de um acidente na sequência de uma luta.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas