Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Índia compra duas fragatas russas por US$ 950 milhões

A Rússia assinou um contrato de US$ 950 milhões para fornecer dois novos navios de guerra para a Índia que serão equipados com mísseis Brahmos para aumentar o poder de fogo da Marinha Indiana. As duas fragatas da classe Project 11356 serão compradas diretamente da Rússia e um contrato para construir mais duas em um estaleiro indiano provavelmente será assinado em um estágio posterior.


Poder Naval

Fontes disseram que, enquanto as liberações finais para o projeto pendente vieram antes da cúpula no início deste mês entre o presidente Vladimir Putin e o primeiro-ministro Narendra Modi, o acordo foi assinado na semana passada após as negociações de preços.

Fragata Almirante Makarov, Project 11356

Dado que os EUA implementaram sanções contra a compra de armas de Moscou, a Índia poderia fazer pagamentos para os navios usando a rota Rúpia-Rublo. O acordo – sob um esquema “2 + 2”, no qual a tecnologia será transferida para um estaleiro indiano para construir duas fragatas a partir do zero – está sendo desenvolvido desde 2015.

As duas fragatas deverão ser levadas para a Índia após a construção para instalar as turbinas a gás em um estaleiro local, já que a encomenda de turbinas foi feita diretamente por Nova Délhi com a Ucrânia, para evitar complicações devido às relações entre Ucrânia e Rússia.

Houve discussões iniciais para envolver o setor privado indiano na construção de dois dos navios, mas o governo decidiu nomear o Estaleiro Goa estatal. Não está claro se a decisão ainda permanece ou o ministério seguirá um processo competitivo para determinar o parceiro local.

O estaleiro Goa tem enfrentado dificuldades financeiras e não foi capaz de ir adiante em um pedido anterior de novas embarcações caça-minas que são desesperadamente necessárias pela Marinha.

O processo para adquirir os navios-varredores foi abortado duas vezes e uma tentativa está sendo feita para emitir propostas para o projeto.

FONTE: Economic Times

Comentários

Postagens mais visitadas