Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Reino Unido reforçará sua presença militar no Ártico para se opor à Rússia, diz mídia

O ministro da Defesa britânico, Gavin Williamson, disse que o Reino Unido pretende reforçar a presença militar no Ártico para “proteger” o flanco norte da OTAN das ações da Rússia, segundo o diário The Telegraph.
Sputnik

Segundo o jornal, mais de 1.000 fuzileiros navais da Marinha britânica farão treinamentos anuais com colegas noruegueses no âmbito de um programa previsto para dez anos, formando no futuro próximo um novo destacamento, assinalou Williamson durante uma visita à base militar em Bardufoss, na Noruega.


O ministro britânico mencionou também que o Reino Unido enviará no próximo ano para a região do Ártico um avião de patrulha marítima Poseidon P8 para vigiar a atividade crescente dos submarinos russos.

"Queremos melhorar nossas capacidades em condições de temperaturas abaixo de zero, aprendendo com antigos aliados, tais como a Noruega, ou monitorando as ameaças submarinas com nossos aviões Poseidon. Nos manteremos atentos a novos desafios", afirmou Williamson.

O minist…

Israel agradece aos EUA pelo 'direito' de atacar forças pró-iranianas na Síria

O diretor-geral do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yuval Rotem, agradeceu ao secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, por seu reconhecimento público do "direito" de Israel atacar as forças pró-iranianas na Síria.


Sputnik

"Israel nunca permitirá que o Irã e seus representantes terroristas na Síria e no Líbano ponham em risco a soberania e o povo de Israel", escreveu Rotem em seu Twitter, agradecendo a Pompeo pela "posição clara sobre o direito de legítima defesa de Israel".

Soldados israelenses (foto de arquivo)
Militares israelenses © REUTERS / Mohamad Torokman

Dirigindo-se em 10 de outubro ao Instituto Judaico para a Segurança Nacional da América (JINSA, na sigla em inglês), com sede em Washington, Pompeo reiterou o "apoio inabalável" da administração dos EUA a Israel.

Em particular, ele afirmou que Israel tinha o direito soberano de "atacar as milícias apoiadas pelo Irã" na Síria e prometeu que os EUA continuariam a defender esse direito.

Nos últimos dois anos, Israel atacou a Síria em diversas ocasiões, alegando que tem como alvo as forças apoiadas pelo Irã, incluindo o movimento Hezbollah. Israel prometeu continuar seus ataques aéreos, apesar do incidente com o avião russo Il-20 na costa da Síria pelo qual Moscou culpou Tel Aviv, tendo em seguida fornecido sistemas de defesa antiaérea S-300 à República Árabe.

Comentários

Postagens mais visitadas