Pular para o conteúdo principal

Postagem em destaque

Os mísseis russos que se tornaram alvo de disputa entre EUA e Turquia

A Turquia, dona do segundo maior Exército entre os 29 países que compõem a Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), está prestes a adquirir mísseis antiaéreos S-400.
BBC News Brasil

Os S-400 são os mísseis "terra-ar" mais avançados do mundo e se tornaram motivo de uma disputa entre Turquia e Estados Unidos que pode ameaçar a aliança militar das potências ocidentais.

Isso porque os S-400 são fabricados na Rússia, o principal rival da organização fundada em 1949 justamente para se opor à então União Soviética.

A insistência da Turquia em adquirir os mísseis russos irritou os Estados Unidos, que encaram a decisão como uma potencial ameaça para seus aviões de combate F-35, também em vias de serem comprados pelos turcos.
Troca de farpas

"Não ficaremos de braços cruzados enquanto os aliados da Otan compram armas dos nossos adversários", advertiu o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, durante um encontro organizado há poucos dias em Washington para celebrar o aniversár…

Israel corta o limite da zona de pesca de Gaza em meio a confrontos de manifestantes

O ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, ordenou neste sábado a redução do limite da zona de pesca para a Faixa de Gaza de nove para seis milhas náuticas em meio a protestos violentos na fronteira com o enclave, relatou a rede de TV Kan.


Sputnik

De acordo com a emissora Kan, a decisão foi tomada após os confrontos fronteiriços de sexta-feira entre palestinos e tropas israelenses.

Confronto entre palestinos e israelenses em Gaza | Reprodução

Na véspera, cerca de 20.000 palestinos participaram de confrontos com as Forças de Defesa de Israel (FDI) na fronteira da Faixa de Gaza, lançando granadas contra os soldados israelenses e tentando romper a cerca da fronteira, segundo o serviço de imprensa das FDI. Pelo menos dois palestinos foram mortos e mais de 370 ficaram feridos.

Os confrontos na área se intensificaram no final de março, quando manifestantes palestinos iniciaram uma campanha em larga escala, apelidada de Grande Marcha do Retorno, levando a tentativas de suprimir os ataques das forças israelenses.

A violência atingiu o auge em maio, em meio à abertura da embaixada dos EUA em Jerusalém, no momento do aniversário do estabelecimento do Estado de Israel. Desde então, mais de 60 palestinos foram mortos e mais de 2.700 outros foram feridos pelas forças israelenses no decorrer dos dias.

Comentários

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

Postagens mais visitadas